Xiaomi-logo

Todos os que acompanham o diverso mundo tecnológico certamente estarão cientes da importância que a Xiaomi tem vindo a adquirir. Esta marca #chinaaopoder conquistou rapidamente o topo do mercado chinês e tem vindo aos poucos a expandir-se para o resto do mundo. A Índia e o Brasil são as maiores apostas da marca para a globalização e ela não se quer ficar por aqui.

Segundo a Forbes, existem planos no interior da Xiaomi para a entrada da marca no mercado Africano já no próximo mês de Setembro. Esta entrada vai ser feita em parceria com o distribuidor africano Mobile in Africa Limited, uma estratégia que tem vindo a dar frutos, e levará os seus equipamentos a 50 países da Africa Subsariana. Esta estratégia inclui ainda a criação de uma rede de lojas online em 14 desses países, também estas com o apoio da Mobile in Africa Limited.

   

Para o arranque deste novo mercado, a Xiaomi decidiu colocar à venda o Redmi 2 e o Mi 4, dois equipamentos de gamas distintas mas que permitem assim à marca atingir um leque mais alargado de clientes. Os preços praticados serão o equivalente a 135€ para o Redmi 2 e 270€ no caso do Mi4.

À que ter em mente que o continente Africano não é de todo um mercado fácil de gerir, muito por culpa dos recursos financeiros que afetam grande parte daqueles países e de um mercado mobile ainda em fase de crescimento. Ainda assim esta medida mostra-nos que a Xiaomi não está para brincadeiras e quer afirmar-se num mercado cada vez mais feroz.

Talvez queiras ver:

 

O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.