Samsung utilizará ainda mais plástico nos próximos smartphones Galaxy S22

Rui Bacelar
Comentar

Ao que tudo indica a Samsung quer que o Galaxy S22 Ultra se destaque ainda mais face aos outros dois modelos da linha S22 a chegar ao mercado no primeiro trimestre do próximo ano. Para tal, a qualidade de construção diferirá ainda mais entre estes dispostivos móveis.

O novo relato aponta a utilização do plástico para a traseira dos Samsung Galaxy S22 e Galaxy S22+ (Plus). Desse modo, apenas o modelo Samsung Galaxy S22 Ultra será construído em vidro, apesar de todos os três modelos terem uma estrutura metálica.

O "Glasstic" substituirá o vidro nos Samsung Galaxy S22

Samsung Galaxy S21
Os atuais Galaxy S21 já usam o "glastic" como material de construção na traseira.

A gigante sul-coreana pode estar à procura de mais plástico e menos vidro para a construção dos seus próximos smartphones da linha Galaxy S22. A informação é agora avançada por um leaker sul-coreano, citado como fonte pela publicação ITHome.

O mesmo, alegando fontes próximas da empresa, afirma que em 2022 teremos mais plástico e menos vidro. Mais concretamente, refere a utilização de um "novo processo de fabrico" que permitirá criar a traseira dos modelos Galaxy S22 e Galaxy S22 Plus.

Este processo será uma nova forma de criar um painel traseiro robusto, agradável ao toque e até mesmo premium para que seja difícil distinguir o toque de ambos os materiais. Será uma nova geração de glasstic, capaz de rivalizar com o vidro.

Note-se ainda que, de acordo com o seu relato, apenas o Galaxy S22 Ultra manterá a construção em vidro (e metal na estrutura).

Teremos ainda menos vidro nos Samsung Galaxy para 2022

Samsung Galaxy S21 Ultra 5G
Atualmente o Samsung Galaxy S21 Ultra 5G é construído em vidro (fosco) e metal.

Em 2021 temos os Galaxy S21. O trio é composto pelo Samsung Galaxy S21 com traseira em plástico (glastic), ao passo que os Galaxy S21+ (Plus) e Galaxy S21Ultra são equipados com uma traseira em vidro. Os três têm uma estrutura metálica.

Para 2022, contudo, a sul-coreana pode adotar o plástico policarbonato - com um novo tratamento especial - para dois destes três modelos. Mais ainda, como demos hoje a conhecer na 4gnews, também os tamanhos de ecrã pode ser ligeiramente reduzidos.

Caso tal se verifique teríamos ainda mais destaque a ser dado à variante Ultra, de modo expectável a mais cara do trio de smartphone. Esta pode ser a estratégia da Samsung para motivar mais consumidores a adquirir a versão premium do telefone.

Recordamos ainda que apenas o S22 Ultra deve empregar um ecrã LTPO (low-temperature polycrystalline oxide) AMOLED de maiores dimensões. A isto somando uma construção mais premium e melhores câmaras fotográficas e temos vários motivos para investir na versão mais cara.

Poderá o plástico trazer uma redução de preços nos Galaxy S22?

Em 2021 vimos os atuais topos de gama a chegar ao mercado com um preço mais baixo face à geração anterior. Isto tornaria rapidamente os novos telefones em best-sellers para a empresa sul-coreana ao ficarem mais acessíveis.

Resta assim saber se para o próximo ano, uma vez que também o modelo Plus abdicará do vidro em detrimento do plástico pode ser mais económico. Resta saber como será a opinião do público afetada por esta possível decisão.

Por outro lado, a utilização do plástico em mais modelos pode também ser uma forma de contrabalançar os preços mais elevados dos processadores e demais semicondutores.

Note-se que devido à atual escassez de componentes que afeta todo o mercado, o preço destes chips e demais elementos acabou por aumentar consideravelmente.

Por fim, contamos também com uma nova gráfica (GPU) a ser desenvolvida pela AMD e a marcar presença nos processadores da Samsung para a próxima geração, estando incluída no próximo SoC da Exynos.

O plástico não é necessariamente mau, mas não é premium

Tendo as suas vantagens como a menor propensão para quebras e rachadelas, apesar de também riscar, o plástico é desde logo um material mais leve. Sendo também mais barato, pode ser usado pela Samsung para canalizar recursos para outro componente.

O plástico, sobretudo com textura e sem brilho, pode manter-se tão limpo quanto o vidro fosco. Aliás, torna-se menos escorregadio até e permite também a utilização do carregamento por indução magnético, vulgo carregamento sem-fios.

Por fim, esperamos ainda por um novo padrão de construção do "glasstic" da Samsung, uma espécie de plástico especial.

De qualquer modo, para já tudo o que temos são rumores não confirmados e toda a narrativa pode sofrer alterações substânciais à medida que nos aproximarmos da sua data de apresentação. Até lá, estaremos atentos aos desígnios da Samsung.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.