Home Android

Samsung Galaxy S9 e S9+ igualam vendas dos Galaxy S8 no primeiro mês

Os dados são da Canalys e mostram-nos um sucesso idêntico ao obtido pelos modelos de 2017.

Samsung Galaxy S9+ S8
Esta é a nova estrela da tecnológica sul-coreana

Os Samsung Galaxy S9 e Galaxy S9+ foram desvendados em fevereiro passado no Mobile World Congress. Os sucessores dos Galaxy S8 não nos trouxeram grandes novidades, mas sim um aprimorar da formula introduzida em 2017. Não obstante, não deixam de ser das melhores propostas ao teu dispor no mercado.

No realidade, os smartphones da Samsung são cada vez mais o ex-líbris do mercado Android. Desde o lançamento do Galaxy S6 que a sul-coreana nos tem apresentado modelos com uma qualidade dificilmente igualável. Estes têm sido a estrela polar pela qual outras empresas se têm guiado.

Vê ainda: Apple simplificará os nomes dos iPhone ainda este ano

Mas face às poucas diferenças entre os Samsung Galaxy S9 e os Galaxy S8, impera a questão do quanto irão os primeiros vender. Face às poucas novidades empregues, será que os consumidores encontrarão motivos para trocar de smartphone?

Samsung Galaxy S9 e S9+ a par dos Galaxy S8 nas vendas

Para quem possui um Galaxy S8, não valerá a pena estar a gastar mais dinheiro por pequenas melhorias. A não ser que queiras mesmo ter o último modelo da marca. Já se vieres de gerações anteriores, as melhorias serão significativas.

Mas enquanto que não temos acesso a dados oficiais fornecidos pela sul-coreana, temos sempre as agências de estudo de mercado para nos elucidar sobre as vendas destes equipamentos. Em concreto, temos a agência Canalys a adiantar que os Samsung Galaxy S9 e S9+ venderam cerca de 8 milhões de unidades no seu primeiro mês de vendas.

Nos primeiros 30 dias de venda ao público, os mesmos foram capazes de igualar a marca alcançada pelos Galaxy S8 no ano passado. Dado que nos mostra que o interesse despertado por este par se manteve inalterado face a 2017. Porém, não podemos aferir quantos destes consumidores vieram de um S7 ou de um S8.

Aquilo que a Canalys nos adianta é que foi o modelo Plus aquele que mais vendeu neste período. A sua câmara dupla terá sido o factor preponderante para que mais consumidores optassem pelo modelo mais caro. Algo que muito bem-visto da parte da sul-coreana, pois permite-lhe aumentar as suas receitas.

De todo este universo, 2.8 milhões de exemplares foram destinados aos Estados Unidos da América. Já no seu país caseiro, a Coreia do Sul, terão sido vendidos cerca de 1 milhão de unidades.

Os S7 e S7 Edge continuam a ser os recordistas de vendas

Apesar destes números serem bem animadores, os mesmos ficam novamente aquém do alcançado em 2016 pelos Samsung Galaxy S7 e S7 Edge. Estes foram os modelos mais vendidos dos últimos anos da sul-coreana, com 9 milhões de unidades vendidas no primeiro mês.

Já num período de 12 meses, os S7 foram capazes de alcançar a marca dos 48 milhões de exemplares comercializados. Um número que não havia sido ultrapassado pelos Galaxy S8, tendo estes ficado pelos 41 milhões. Também os topos de gama de 2018 poderão ficar aquém dos S7, totalizando apenas 45 milhões de unidades vendidas ao longo do ano.

Ora, esta redução no número de vendas poderá ter repercussões diretas nas políticas da empresa. Aliás, avança-se que alguns retalhistas já estarão a cortar nos preços dos S9 e S9+ pelo facto de os mesmos não estarem a vender tanto como o desejado.

A Samsung poderá ver-se forçada a rever a sua política de preços

Isto torna-se num pau de dois bicos para a Samsung. Por um lado, caso os preços não baixem, a empresa arrisca-se a perder a sua liderança no mercado mundial. Por outro, para manter o seu estatuto de líder, ela terá de ser conivente com uma redução de lucros.

Muitos parecem acreditar na predisposição da empresa em perder um pouco dos seus lucros afim de manter a sua liderança no mercado. Mas, em última análise, tal irá forçar a empresa a rever a sua política de preços.

Com um mercado cada vez mais feroz e cheio de propostas interessantes, a Samsung poderá ver-se forçada a reduzir os preços dos seus equipamentos. Caso estes se venham a manter altos, os consumidores poderão fugir para outras marcas, tais como a Huawei.

Recorde-se que o novo Huawei P20 Pro está a ser comercializado na casa do 900€. Um valor em linha com os atuais topos de gama da sul-coreana, mas que muitos vêm como uma melhor aposta graças à sua câmara tripla.

Assuntos relevantes na 4gnews:

LG G7 ThinQ: Mais detalhes revelados sobre o ecrã e benchmarks

Nokia X6 trará a ‘notch’ do Apple iPhone X e o sistema operativo Android Oreo

Windows 10 – Discord chegará ao serviço Xbox Live da Microsoft

Fonte

O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal passatempo.
Blogs do Ano - Nomeado Inovação e Tecnologia