Resident Evil 7 é o mais recente jogo de uma das sagas mais conhecidas em todo o mundo. Acredito que todos conheçamos do que se trata este tipo de jogos, mais que não seja pela saga homónima de filmes que passam pelo grande ecrã também há já bastantes anos.

Vê também: Jogo dos Guardians of the Galaxy poderá estar a ser desenvolvido

   

Este novo título da Capcom foi lançado oficialmente no passado dia 24 de janeiro. O mesmo contava com uma das mais inovadoras tecnologias de proteção à pirataria, conhecida como Denuvo. Trata-se de uma tecnologia que encripta e desencripta constantemente os dados sob os quais está implementada. Até aqui, era então considerada como impossível de crackear.

Contudo, parece que as coisas não são assim tão perfeitas como seria de esperar. Isto porque, o novo Resident Evil 7 precisou de apenas cindo dias para ser pirateado. Este marco mostra-nos que, afinal de contas, a nova versão da Denuvo não era assim tão impossível de crackar como queriam fazer transparecer para o público.

O problema deste feito não se remete apenas ao jogo aqui em questão, mas sim a todos aqueles que façam uso da mesma tecnologia. Ou seja, qualquer jogo que tenha sido já lançado com a mesma tecnologia, poderá ser pirateado com recurso ao mesmo método que foi utilizado para o Resident Evil 7. O mesmo aplica-se a todos que iriam utilizá-la daqui em diante.

Para teres uma noção do problema que se coloca às produtoras de jogos, empresas como a EA Games, Ubisoft, Square Enix ou Bethesda. Estas e tantos outras aderiram à Denuvo e veem agora em risco a tão prometida proteção que lhes foi garantida.

Talvez queiras ver:

Microsoft irá remover a funcionalidade “Encaixar” da Xbox One

Está marcado um novo evento de Gaming em Portugal

Windows 10 Cloud poderá ser um concorrente aos Chromebooks