Remoção das apps AnTuTu da Play Store foi resultado de um mal-entendido

Carlos Oliveira
Comentar

Ontem surgiu a notícia de que três aplicações da conhecida plataforma de benchmarks AnTuTu foram removidas da Play Store. Tudo porque a Google acredita que a empresa de programação Cheetah Mobile estará por trás destas aplicações.

Perante este acontecimento, o CEO da AnTuTu já veio esclarecer as coisas. Segundo Zhao Chen, a AnTuTu tem a sua própria conta de programador na Play Store e a Cheetah Mobile nada tem que ver com o desenvolvimento das suas aplicações.

Chen esclarece toda a situação numa carta enviada à Android Police. No texto, o CEO refere que a AnTuTu foi fundada em 2011, antes da criação da Cheetah Mobile. Ele reitera que a empresa chinesa nunca tocou nas aplicações da AnTuTu e espera que a Google possa resolver este mal-entendido em breve.

AnTuTu

Cheetah Mobile não desenvolveu as apps da AnTuTu, mas tem participação na empresa

Este facto poderá comprometer a esperança da AnTuTu de ver as suas aplicações novamente disponíveis na Play Store. A empresa não esconde que a Cheetah Mobile tem participação no seu capital desde 2014, mas a Google poderá não gostar muito da ideia.

Zha Chen frisa na sua carta que a maioria das ações são detidas pela AnTuTu, logo a Cheetah Mobile não possui todo o poder de decisão sobre a sua empresa. Este mal-entendido terá sido motivado pelo facto de a AnTuTu usar serviços legais da Cheetah Mobile.

Embora a responsável plataforma de benchmarks frise que a Cheetah Mobile não dá ordens na empresa, a verdade é que ambas estão ligadas. E Isso poderá comprometer a causa da AnTuTu junto da Google.

Google e Cheetah Mobile estão longe de ser amigas

O conflito surgiu quando a empresa chinesa começou a quebrar as regras da Play Store. De forma recorrente, a Cheetah Mobile foi disponibilizando aplicações com malware, spyware e adware na loja de Google.

A Google avisou a empresa chinesa para parar com essa prática, mas a primeira ignorou o aviso. Perante a insubordinação da Cheetah Mobile face às regras instauradas pela Google, a gigante americana viu-se obrigada a banir a empresa da sua loja de aplicações.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.