Reino Unido possui primeira linha férrea totalmente movida a energia solar

Carlos Oliveira
Comentar

É na cidade de Aldershot, a sudoeste de Londres, que se localiza aquela que é apelidada como a primeira linha férrea do mundo sustentada por energia solar. Enquanto já existem comboios movidos por esta fonte de energia, aqui temos uma linha totalmente alimentada pelo sol.

Tal foi conseguido com a instalação de 100 painéis solares na lateral da linha férrea. Estes são responsáveis pela alimentação da sinalização e iluminação da rota de Wessex.

Comboio energia solar

Este projeto piloto consegue gerar 30kW de energia que serão canalizados apenas para a alimentação daquela rota. Caso este projeto seja bem-sucedido, espera-se que, no próximo ano, toda aquela linha férrea venha a ser alimentada da mesma forma.

Reino Unido quer comboios movidos apenas por energia solar

O projeto que aqui te damos a conhecer faz parte de um objetivo maior. A ideia é que toda a linha ferroviária do Reino Unido venha a ser movida por intermédio de energia solar.

O governo britânico espera conseguir abolir por completo comboios movidos por combustível fóssil. Para a sua substituição, temos a energia solar que, além de ser renovável, é amiga do ambiente.

Caso o projeto de Aldershot se venha a revelar um sucesso, a mesma ideia será aplicada a nível nacional. Neste momento, existem planos para a instalação de soluções semelhantes em Edimburgo, Glasgow, Nottingham, Londres e Manchester.

A utilização de energia solar tem-se provado ainda uma solução mais económica. Com efeito, não estamos a falar unicamente num projeto amigo do ambiente, como também amigo da economia local.

Linhas alimentadas por energia solar são uma novidade

Atualmente, já existem estações alimentadas por energia solar. Um exemplo desse paradigma é a estação de Blackfriars no centro de Londres. Mas no caso do projeto de Aldershot, estamos a falar na alimentação direta da linha férrea.

Na Índia, por exemplo, existem comboios com painéis solares instalados que produzem energia suficiente para a sua movimentação. No entanto, as linhas continuam a ser alimentadas por fontes de energia convencionais.

Editores 4gnews recomendam:

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.