Smartphone Redmi de gama média não terão sensor biométrico no ecrã

Carlos Oliveira

Lu Weibing, CEO da Redmi, veio clarificar perante os fãs da marca que um dos seus principais desejos não se irá realizar. Com efeito, fica agora esclarecido que futuros gama média desta sub-marca da Xiaomi não virão com leitor de impressões digitais no ecrã.

Estas declarações surgem na sequência de um questionário na Weibo sobre o que os fãs da marca desejariam ver melhorado em futuros smartphones Redmi. O principal pedido foi mesmo um sensor biométrico no ecrã, contudo, tal não se verificará.

Redmi 7

A razão por trás desta decisão prende-se com o hardware utilizado na construção destes smartphones. Com a utilização de painéis LCD, Weibing refere ser-lhes impossível incluir este tipo de tecnologia nos seus equipamentos.

Futuros gama média da Redmi não terão leitor de impressões digitais no ecrã

Para que tudo pudesse funcionar perfeitamente, teriam de ser adotados ecrãs de tecnologia AMOLED. Ora, este tipo de painéis são mais caros que os LCD, pelo que resultaria num aumento dos custos de produção e consequente preço de venda.

Ademais, o CEO da Redmi deita por terra a esperança de uma transição deste componente da traseira para a lateral do smartphone. Isto porque tal mudança teria implicações na espessura dos equipamentos, algo com o qual a empresa não parece estar muito confortável.

Assim sendo, o futuro dos Redmi continuará a passar por um leitor de impressões digitais na traseira dos seus dispositivos. Nem todos são amantes desta localização, mas se quiserem um Redmi terão de se contentar com esta abordagem.

No entanto, fala-se já num smartphone Redmi com um processador Snapdragon 855. Este, certamente, será um pouco mais caro do que os modelos já presentes no mercado e quem sabe não trará um leitor biométrico embutido no seu ecrã.

Editores 4gnews recomendam:

Fonte | Via

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.