Quebrou! Asus ROG Phone 5 sofre em teste de resistência

Bruno Coelho
Comentar

O nome é ROG Phone 5, e trata-se do smartphone mais recente de divisão de gaming da Asus. Olhando para a lista de especificações, é terminal gaming mobile mais poderoso da atualidade. Mas no que diz respeito a resistência parece falhar onde os seus antecessores brilharam.

Se acompanhas com afinco a indústria mobile, conheces os testes de resistência do canal de YouTube JerryRigEverything, de Zach Nelson. O popular youtuber testou com sucesso a durabilidade de todos os anteriores ROG Phone, mas no novo modelo a experiência foi tudo menos positiva.

Vidro traseiro do ROG Phone 5 ficou completamente estilhaçado

Como podes ver no vídeo abaixo, por volta do minuto 7:17, o smartphone mostra fraquezas na zona lateral da antena. Dobra com alguma facilidade, e isso acabou por afetar o motor de vibração interno que ficou a fazer um ruído bastante estranho descrito como um “gato assanhado”.

À segunda tentativa, o ecrã vai literalmente “à vida”. Assim que o smartphone é virado ao contrário, quem diz adeus é a cobertura traseira em vidro que fica completamente estilhaçada. Agora na zona lateral da saída USB-C, é encontrado outro ponto fraco.

Numa altura em que os smartphones são cada vez mais resistentes, é descrito pelo youtuber como “vergonhoso” que o ROG Phone 5 falhe no teste. Principalmente quando chega a Portugal por um preço que vai dos 799 € aos 1299 €.

A verdade é que é cada vez mais raro um smartphone falhar neste teste de resistência. Poderão estas fragilidades afastar potenciais compradores do ROG Phone 5? O tempo e o seu desempenho nas vendas responderão a essa pergunta.

Editores 4gnews recomendam:

  • Asus ROG Phone 5 é oficial: o 'rei' do gaming mobile voltou (e não vem sozinho)
  • Xiaomi Mi MIX: dobrável aparece em novas fotografias online
  • Xiaomi Redmi Note 10 chega a Portugal com ofertas de lançamento na Mi Store
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.