Qualcomm vai entrar no mercado dos smartphones gaming em nome próprio

Carlos Oliveira
Comentar

O mercado dos smartphones dedicados ao gaming tem crescido bastante nos últimos anos. Para isso contribuem os esforços contínuos de marcas como a Asus, Razer, Xiaomi e em breve também da Qualcomm.

Um novo relatório da Digitimes afirma que a americana Qualcomm quer lançar um smartphone gaming com a sua marca. O primeiro modelo do género deverá ser apresentado ainda este ano e contará com o processador Snapdragon 875.

Qualcomm terá a ajuda da Asus na sua nova aventura

Sendo a Qualcomm uma marca conhecida pelo desenvolvimento de semicondutores, é natural que se venha a socorrer de outra empresa com provas dadas no desenvolvimento de smartphones. E segundo o relatório, a Asus foi a parceira escolhida para esta aventura.

Nubia red Magic

As duas empresas irão trabalhar em estreita colaboração neste novo projeto. Ao que tudo indica, a Asus ficará encarregue do design e desenvolvimento de hardware. Já a cargo da Qualcomm ficará o "design industrial" e a otimização do software que irá correr com o Snapdragon 875.

Adicionalmente, as empresas partilharão componentes, o que significa que os próximos ROG Phone terão várias semelhanças com o novo produto da Qualcomm. Esta parceira deverá resultar no desenvolvimento de um milhão de dispositivos, sendo estes divididos equitativamente entre ambas.

Dito isto, não existem muito mais pormenores que possamos adiantar acerca deste tema. Questões como especificações e outros pormenores serão assunto para outros artigos.

Quanto ao seu lançamento, o smartphone gaming da Qualcomm só deverá chegar ao mercado algures no primeiro trimestre de 2021. Altura em que habitualmente começamos a ver no mercado os primeiros dispositivos equipados com o mais recente processador de topo da Qualcomm.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.