Qualcomm ajudará a Google a Samsung a enfrentar o Apple Watch

Rui Bacelar
Comentar

O mercado global de relógios inteligentes é dominado pela gigante de Cupertino com o seu Apple Watch. Contudo, 2021 pode ficar para a história como o ano em que se afirmou uma alternativa ao domínio da Apple perante o esforço conjunto da Samsung com o seu TizenOS, a Google com o Wear OS e, por fim, a Qualcomm com os seus processadores Snapdragon Wear.

Após o anúncio da parceria estabelecida entre a Samsung e a Google para fazer chegar os melhores aspetos do TizenOS ao Wear OS da Google, vemos agora outra boa notícia para o mercado dos smartwatch. A Qualcomm lançará novos processadores Snapdragon Wear para os relógios inteligentes em 2022.

Teremos novos processadores Snapdragon Wear da Qualcomm a chegar em 2022

Qualcomm Snapdragon Wear

O anúncio do novo Wear OS desenvolvido entre a Samsung e a Google marcaria o primeiro passo. A efeméride deu-se a 18 de maio, tal como demos a conhecer na 4gnews. Agora, também a Qualcomm colocará mais soluções de processamento ao dispor de ambas as gigantes em 2022.

Mais concretamente, a Qualcomm estará interessada em aumentar a concorrência e competitividade no mercado de relógios inteligentes. Para tal, apresentará em breve novos processadores da gama Snapdragon Wear num futuro próximo.

Para os menos atentos, a plataforma Wear OS foi criada pela Google para ser usada nos relógios inteligentes, os smartwatch. No entanto, este sistema operativo baseado no Android esteve algo estagnado durante vários anos. Por outro lado, a Apple capitalizou imenso com esta inércia, colocando o Apple Watch no topo das preferências dos consumidores.

Maior e melhor concorrência ao Apple Watch num futuro próximo

Qualcomm

Até ao momento era comum os smartwatch com Wear OS chegarem ao mercado com processadores já antigos. Ainda que a Qualcomm fosse sempre a maior fornecedora, o SoC usado nem sempre era o mais recente. Como tal, a experiência de utilização viria a sofrer, com a opinião pública a não sair abonada com esta estratégia.

Daqui em diante, contudo, poderemos ver os novos processadores Snapdragon 4100 e Snapdragon 4100+ a serem apresentados pela Qualcomm. De acordo com o novo entendimento, estes chips serão usados amplamente por fabricantes como a Samsung que colocará relógios mais poderosos no mercado.

O objetivo passará assim por criar uma maior e melhor concorrência ao Apple Watch. O exemplo será dado pela Samsung com o aval da Google e do seu sistema Wear OS, devendo ser seguido por outras fabricantes.

A Qualcomm promete "novas armas" para combater a supremacia do Apple Watch

The new Qualcomm Wearables Ecosystem Accelerator Program is where players across the wearables value chain can connect, collaborate, and get expert support to help fast track innovations powered by the #Snapdragon Wear Platform. Learn more and join us:https://t.co/NxgMFfxdjj pic.twitter.com/QHuiVbSJo3

— Qualcomm (@Qualcomm) 20 de julho de 2021

O anúncio foi feito pela tecnológica norte-americana, através de uma publicação recente, onde afirma esta intenção. A empresa espera vender mais de 40 milhões de processadores Snapdragon Wear no próximo ano, fomentando assim a concorrência.

Resta saber, contudo, se as demais fabricantes - além da Samsung - adotarão estes futuros processadores. Não obstante, a Qualcomm está convencida do mérito dos seus próximos chips e do apelo junto de nomes como a Fossil, OPPO, grupo BBK, Verizon, Vodafone, entre outros.

Para o efeito a Qualcomm anunciou também a criação de um programa acelerador do ecossistema de werables. A tecnológica cita o crescimento de 21% anual registado no mercado de wearables pela agência IDC e mostra-se empenhada em criar as conduções necessárias para que as fabricantes produzam novas soluções capazes de enfrentar o Apple Watch.

Em síntese, a Qualcomm fornecerá os processadores Snapdragon Wear e o programa de aceleração. A Samsung deve produzir uma boa parte do relógios inteligentes de primeira geração a adotar estes processadores. No que lhe concerne, a Google reforçará a aposta no Wear OS, estando este a ser também trabalhado com a Samsung.

Por fim, só em 2022 conheceremos os produtos nascidos deste Tríplice Entente. Só aí poderemos aferir o seu mérito frente ao Apple Watch.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.