PUBG é banido no Nepal por "distrair as crianças dos estudos"

Filipe Alves

O Nepal decidiu banir por completo o jogo PUBG do seu país. Esta nova medida aplica-se ao jogo para PC e para o smartphone, PUBG Mobile. 

Certamente não é a primeira vez que ouves falar que o PUBG foi banido. Algumas cidades da Índia proibiram também o jogo, dando mesmo prisão a alguns jovens que foram apanhados a "dar uns tiros" no PUBG Mobile. 

Huawei Honor 10 PUBG Mobile

Ainda assim esta é uma decisão séria e controversa. As palavras de Sandip Adhikari, Diretor da Autoridade de telecomunicações do Nepal, foram duras. "Pedimos a proibição do PUBG porque é viciante para crianças e adolescentes". Este pedido seguiu-se porque muitos pais estavam a apontar que os seus filhos se distraiam demais com o jogo e deixavam de lado os seus estudos. 

A proibição do PUBG não tem lógica

Contudo, tenho de apontar que não sinto que exista muita lógica nesta proibição. Há dezenas de jogos idênticos ao PUBG. Só no Android ou iOS temos o Fortnite e Free Fire. Ambos os jogos livres para instalação no Nepal. O Fortnite pode também ser jogado no computador. Já o Free Fire oferece apenas versão para o smartphone. Ambos os jogos (e todos os outros idênticos) continuam sem qualquer proibição. 

A ordem de proibição do PUBG no Nepal seguiu para todos os operadores de telecomunicações e ISP's no país esta passada quinta-feira. Ou seja, agora os jovens do Nepal só conseguirão jogar PUBG via VPN. 

O PUBG é viciante?

Todos os jogos são! A adrenalina do PUBG não é diferente de qualquer outro. Contudo, não sou nenhum perito na matéria. O PUBG é um jogo fantástico em muitos aspetos, porém, como qualquer jogo deve ser olhado com cautela. A Tecent, dona do PUBG, já limitou a 6 horas diárias para todos os jogadores de forma a suavizar este tipo de problemas. Contudo, continuamos a ter países sem grandes dúvidas face ao problema do PUBG na sociedade mais jovem. 

Mais sobre o PUBG:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.