Privacidade: utilizadores confiam mais na Amazon e Google do que na Apple

Mónica Marques
Comentar

Uma pesquisa do Washington Post revela que os utilizadores inquiridos têm mais confiança na Google e na Amazon do que na Apple na questão do processamento de dados pessoais.

Em simultâneo, os mesmos utilizadores mostram uma total desconfiança perante o Facebook, Instagram e TikTok no que respeita a dados pessoais.

Utilizadores consideram a Amazon a empresa mais confiável do grupo

Privacidade
Amazon e Google entre as empresas que gozam de mais confiança juntos dos utilizadores

Recentemente, o órgão de comunicação norte-americana Washington Post realizou uma pesquisa que envolveu mais de mil participantes para avaliar a confiança dos utilizadores em empresas como a Amazon, WhatsApp, Google, Apple, entre outras, no que diz respeito ao tratamento dos dados pessoais.

Os resultados foram agora divulgados e dão conta de que os inquiridos mostram-se mais confiantes na Google e Amazon no tratamento de informação sensível do que na Apple. Estas não são boas notícias para a empresa de Cupertino, uma vez que a sua estratégia neste último ano tem sido uma aposta forte na política de privacidade e proteção dos seus utilizadores.

Na sua pesquisa, o meio de comunicação inquiria os participantes sobre o seu nível de confiança em cada uma das empresas com as opções "confio plenamente", "confio", "confio pouco", "não confio nada" e "não tenho opinião sobre esta empresa".

Ainda que a Apple tenha obtido a maior pontuação da opção "confio plenamente" com 18% das respostas e a Google e a Amazon tenham ficado pelos 14%, a empresa de Tim Cook é ultrapassada pelas outras empresas norte-americanas na opção de confiar. Mais especificamente, a Amazon obtém 39% das respostas positivas, a Google 34% e a Apple não passa dos 26%.

Contas feitas, a soma das avaliações dá à Apple 44% enquanto que a Google fica com 48%, sendo que o selo de confiança segue para a Amazon que alcança 53% das respostas positivas.

Facebook tem o primeiro lugar no ranking de pouco ou nada confiável

Facebook washington post
Tabela das empresas que têm menos confiança pela parte dos utilizadores Crédito@The Washington Post

Já do outro lado da barricada, 72% dos inquiridos revelarem que têm receio de partilhar informações pessoais com o Facebook. O TikTok obtém o segundo lugar das empresas menos confiáveis com 63% das respostas enquanto que a terceira posição é ocupada pelo Instagram com 60% de resultados negativos.

Junte-se a estes resultados o facto de a Meta ter sido considerada pelo Yahoo Finance como a pior empresa de 2021 e Mark Zuckerberg pode ter encontrado uma nova missão para o próximo ano.

Recordamos que a pesquisa do Washington Post abrangeu mais de mil participantes e foi feita a pessoas residentes nos Estados Unidos da América. Apesar de a amostra poder ser considerada pequena perante o carácter global das empresas aqui referidas, os resultados são indicativos do nível de confiança dos utilizadores nas grandes empresas tecnológicas do momento.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.