Primeiro smartphone com câmara embutida no ecrã começa a dar nas vistas

Carlos Oliveira
Comentar

Há dias noticiamos que a ZTE prepara-se para lançar o primeiro smartphone do mundo com câmara frontal embutida no ecrã. Este será um marco muito importante, pois será o início de um futuro pelo qual todos estão ansiosos.

No seguimento dessa notícia, eis que o possível ZTE Axon 20 passou pela entidade reguladora chinesa TENAA. O modelo que se espera ser o escolhido pela empresa chinesa para albergar a tão esperada tecnologia.

ZTE Axon 20

ZTE Axon 20 promete revolucionar o mercado

As imagens que a TENAA divulgou mostram-nos os principais traços estéticos do vindouro ZTE Axon 20. Olhando para a sua parte frontal, não conseguimos discernir a localização da sua câmara frontal, o que é um indicador de que esta possa efetivamente estar colocada por baixo do ecrã.

Já na parte traseira, vemos o seu acabamento brilhante como um indicador de uma construção em vidro. Adicionalmente, vemos uma câmara composta por quatro lentes, dispostas verticalmente.

Segundo os dados da TENAA, este conjunto será constituído por lentes de 64MP, 8MP e 2MP. Fica, no entanto, ainda por conhecer a resolução do quarto sensor e a sua funcionalidade, bem a das restantes.

Atendendo ao interior do smartphone, este virá com um processador com uma frequência de 2.4GHz, 12GB de RAM e 256GB de memória interna. Para manter tudo a funcionar, marcará presença uma bateria de 4120mAh.

ZTE Axon 20 poderá ter disponibilidade limitada

Por enquanto, ainda não são conhecidos mais pormenores acerca deste inovador smartphone. Mas tudo indica que o seu grande atrativo seja mesmo a sua câmara embutida no ecrã.

Sendo esta uma tecnologia embrionária, não será de espantar caso o equipamento seja produzido num número limitado de unidades. Caso isso venha a confirmar-se, é provável que o ZTE Axon 20 não venha a ser vendido fora da China.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.