Preço das comunicações desce mais em Portugal que no resto da Europa

Rui Bacelar
Comentar

A associação dos operadores de telecomunicações em Portugal, a Apritel, deu a saber na última quinta-feira (25), que o preço das comunicações desce "mais em Portugal do que na Europa". A afirmação terá por base os indicadores mais recentes da Eurostat.

Declarações que vêm contrapor uma das últimas posições da ANACOM onde esta apontava um aumento dos valores face à média europeia ao analisar as oscilações de preços praticados pela MEO (Altice Portugal, NOS e Vodafone) durante a última década.

Portugal como mercado de comunicações competitivo segundo a Apritel

Operadoras Portugal

Agora, a Apritel vem colocar a tónica na "forte dinâmica" do mercado português de comunicações ao olhar para os preços praticados entre janeiro de 2019 e janeiro de 2021. É um escopo menor, ao tomar em consideração os últimos dois anos de mercado.

Através de comunicado à imprensa, a Apritel afirma que "Portugal lidera a descida de preços nos pacotes de comunicações, usados por 86% das famílias portuguesas". A afirmação é baseada nos dados mais recentes da Eurostat, datados de janeiro de 2021.

Perante tais métricas, a associação dos operadores nacionais aponta que há uma "forte dinâmica competitiva do mercado português de comunicações eletrónicas".

Mais concretamente, a associação aponta que "a evolução do cabaz de preços dos serviços de telecomunicações para o período de janeiro de 2019 até janeiro de 2021, registou uma redução de 5,52%, enquanto na média da Europa a 27 se mantiveram".

No mesmo comunicado lê-se ainda que a competitividade deste mercado nacional foi revista em alta, com maior dinamismo face ao que se observa na demais Europa. Em Portugal os índice de preços caiu, em média, 1,9% e lá fora apenas 0,3%.

Os pacotes de comunicações registam as maiores descidas de preços

Sendo a modalidade preferencial dos portugueses, os pacotes ou bundles de serviços são preferidos por "86 em cada 100 famílias portuguesas". Esta modalidade terá registado a maior descida de preços da Europa, baixando 3% nos últimos 12 meses.

"Esta forte descida de preços também transparece do comparativo com o período homólogo, onde Portugal teve uma descida de 2,6% dos preços dos serviços em pacote e a UE27 viu os preços aumentar 0,4%", aponta a Apritel em comunicado.

A Apritel vem assim defender os operadores nacionais como a MEO (Altice Portugal), NOS e Vodafone Portugal com os recentes indicadores do Eurostat. Aponta ainda que a comparação da evolução de preços suportados no IHCP do Eurostat não pode ser usado para comparar níveis de preços entre países, mas sim para ilustrar a evolução dos mesmos".

Este último ponto é uma crítica à ANACOM, a reguladora de mercado das comunicações em Portugal. Entidade que desde o fim do último ano tem vindo a denunciar o aumento de preços em Portugal. A primeira investida teve lugar em novembro último, sendo reforçada pela exposição de janeiro último.

A contraposição entre operadoras e respetiva associação de defesa e a ANACOM tem provocado críticas aguçadas de ambas as partes. Enquanto isso, Portugal é tido como mau exemplo na implementação das redes 5G na Europa.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.