POCO volta a dizer-se independente da Xiaomi. Números impressionam

Bruno Coelho
1 comentário

Esta terça-feira a POCO apresentou o M3, um smartphone de baixo custo que promete estabelecer a marca no segmento de gama-baixa. E esta voltou a proclamar-se que independente da Xiaomi.

Recorde-se que a POCO tornou-se oficialmente marca independente a 17 de janeiro deste ano. Desde aí já lançou alguns equipamentos, e vangloria-se agora dessa independência, que nem sempre é o mais palpável possível.

Primeiro grande sucesso foi o POCO F1

Esta linha de smartphones criada pela Xiaomi em 2018, teve como primeiro grande sucesso o POCO F1. O smartphone apelidado de flagship killer alcançou mais de 2.2 milhões de vendas globalmente, sendo que 700 mil foram nos primeiros três meses.

Esta é a maior fatia de um bolo que conta com mais de 6 milhões de unidades vendidas globalmente. E ao longo do tempo a POCO já se colocou em mais de 35 mercados com equipamentos como o POCO F1, F2 Pro ou o X3 NFC.

Redmi K30 Pro tornou-se o POCO F2 Pro

Esta independência profetizada pela POCO nem sempre é tão efetiva assim. Recorde-se que a Xiaomi lançou o Redmi K30 Pro na China, que viria a ser o POCO F2 Pro globalmente.

Felizmente, desde aí a POCO soube colocar-se no seu lugar e lançar aparelhos como o X3 ou o M3. Quanto à força das palavras “independente da Xiaomi”, a POCO terá de continuar a prová-lo com o tempo. Isso ou continuar a independentemente renomear equipamentos da Xiaomi como se fossem apenas seus.

Editores 4gnews recomendam:

  • MIUI 12 esconde segredo do Xiaomi Mi 11 Pro no código
  • Black Friday: Smartphone barato e bom abaixo dos 100 euros
  • Black Friday: poupa 140 € neste bom smartwatch da Fossil
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.