Patente da Google revela smartphone dobrável

Filipe Alves

A Google não é propriamente uma das melhores e maiores empresas em hardware. A gigante de Mountain View tem investido forte no seu software e aplicações, contudo, continua envergonhada nos seus gadgets.

Os Google Pixel vieram colmatar um problema da Google, porém, o mercado está a evoluir para smartphones dobráveis e não sabemos até que ponto a Google estava a pensar nisso. Pelo menos até agora.

smartphone dobrável Google

Uma nova patente da empresa americana mostra o primeiro esboço do seu smartphone dobrável. Um smartphone que se dobra em 3 e que se esticará assim que aberto. Ou seja, a patente mostra que a Google tomará uma visão diferente do Huawei Mate X e do Samsung Galaxy Fold que se transformam em tablets.

Smartphone dobrável da Google poderá ser assim

Na verdade, nesta patente podemos ver dois smartphones. Um deles que se dobra em concha, algo idêntico ao suposto Motorola Razr, e uma outra patente que nos dá 3 dobras.

Google smartphone dobrável

Porém, uma patente é apenas isso. Ou seja, a empresa americana está de facto a trabalhar em tal tecnologia, todavia, nada nos garante que a veremos a tornar realidade.

Os smartphones dobráveis só agora é começaram a sair para o mercado e o seu valor não é propriamente convidativo. A Google, por muito grande que seja, não tem capacidade de hardware para construir tal gadget sem contratar empresas como a LG ou Samsung na construção do ecrã. Ademais, teremos ainda problemas internos de hardware. Se a bateria não pode ser dobrável como estará a bateria dentro deste smartphone?

É garantido que ouviremos mais sobre estas informações. Se realmente a Google está séria com este investimento é provável que vejamos protótipos em breve.

Editores 4gnews recomendam:

Fonte | Via

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.