Patente da Apple mostra como poderão funcionar os seus óculos inteligente de Realidade Aumentada

Filipe Alves
Comentar

Não é segredo que a Apple está a trabalhar em óculos inteligentes de Realidade Aumentada. Patentes anteriores já referiram isso e normalmente "onde há fumo, há fogo".

Esta nova patente refere a forma de interação dos utilizadores com "botões" de Realidade Aumentada. Ou seja, a forma como os utilizadores irão interagir quando a tecnologia estiver pronta a comercializar.

Patente da Apple fala em sensores de calor para interação

Patente Apple

A nova patente refere que a interação entre os objetos (virtuais e reais) serão diferenciados pelo calor. Ou seja, a Apple implementará uma qualidade de sensores no gadget de forma a perceber aquilo que é criado pela "máquina" e a vida real. Quando clicas no tal "botão" os sensores vão ver o calor da tua mão a pressionar o botão virtual.

Esta funcionalidade mais parece tirada de um filme de ficção científica, porém, é uma boa ideia para distinguir os objetos reais daqueles criados pelo gadget. Além disso, a interação seria muito mais acertada se fosse por sensor de calor.

Quando chegarão os óculos de Realidade Aumentada da Apple

Apple Glasses

Os rumores tem vindo a referir que os óculos de Realidade Aumentada da Apple serão revelados de forma oficial nos próximos anos. Há quem aponte já para 2021, todavia, a falta de fugas de informação leva-nos a questionar essa informação.

Sabemos que a Apple quer que o seu futuro passe pela Realidade Aumentada. Aliás, temos visto isso mesmo com as implementações de AR nos seus telemóveis e tablets.

Falta-nos apenas uns óculos inteligentes para termos uma interação ainda mais concreta e objetiva. Quiçá essa será a evolução tecnológica que todos esperamos.

Editores 4gnews recomendam:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.