OPPO revela 4 grandes inovações para a câmara dos smartphones Android

Rui Bacelar
Comentar

A OPPO revelou várias tecnologias para a câmara fotográfica durante o seu evento Future Imaging Technology realizado na China a 19 de agosto. Aí ficamos a conhecer não só um novo sensor RGBW para a câmara fotográfica, bem como três outras novidades.

Entre estas temos que destacar o sistema de ampliação ótica contínua da imagem (zoom contínuo) com um novo módulo dedicado, bem como vários novos "truques" de software. Mais ainda, temos um novo sistema de OIS e as câmaras frontais sob o display.

As novidades fotográficas foram reveladas durante o evento Future Imaging Technology

OPPO

Naquele que se tem tornado um hábito da empresa chinesa, a OPPO revelou várias novas tecnologias dedicadas à imagem. O destaque tem que ser repartido entre quatro grandes inovações e os desenvolvimentos para as câmaras instaladas sob o ecrã.

A empresa tem-se concentrado no desenvolvimento próprio e na otimização de tecnologias de imagem subjacentes com o objetivo de permitir que os utilizadores “captem a beleza da vida com facilidade”. É também um afirmar do seu poderio tecnológico.

1. Sensor RGBW para os smartphones OPPO

O sensor de RGBW da OPPO melhora significativamente a sensibilidade à luz ao introduzir subpíxeis brancos (W). A isto soma-se a tecnologia de DTI e o algoritmo de pixel 4 em 1.

Desse modo, o novo sensor permite que seja captada mais 60% de luz do que com os sensores anteriores, ao mesmo tempo que alcança uma redução do ruído que chega aos 35%. Assim, criando imagens mais nítidas e brilhantes em condições de pouca luz.

OPPO

O algoritmo de pixel 4 em 1 patenteado da OPPO contribui para aumentar o desempenho da cor do sensor, prevenindo problemas como a inexatidão da cor e padrões moiré. Além disso, a tecnologia de isolamento de pixeis DTI e o processamento DeepSi no novo sensor previnem a interferência de sub-pixeis.

O objetivo? Melhorar a qualidade da imagem. Segundo a fabricante também os retratos captados terão mais qualidade. Na prática, denotando melhores texturas de pele e contraste nas imagens captadas.

Por fim, o novo sensor será comercialmente lançado nos produtos OPPO a partir do quarto trimestre de 2021.

2. Ampliação (zoom) ótica contínua

OPPO

As câmaras com zoom ótico / ampliação ótica são já uma visão comum no mercado de smartphones em 2021. Todavia, mesmo as perisópicas têm uma desvantagem notória, são objetivas fixas num só fator de ampliação. A OPPO quer agora mudar isso.

Fá-lo-á para não terem de depender do software para variar o grau de ampliação, algo que introduz sempre artefactos e degrada a qualidade geral da imagem. O resultado? Um módulo periscópico em que alguns elementos óticos se deslocam.

Ficamos assim a conhecer o módulo de zoom ótico contínuo de 85-200 mm. É uma nova implementação que reformula o módulo estrutural subjacente ao nível do hardware:

  • Adota a tecnologia de lente G+P (vidro + plástico) pela primeira vez. Introduz duas lentes de vidro esféricas superfinas e de alta precisão que melhoram os efeitos óticos, como a minimização do desvio da luz.
  • A aplicação de um sensor de magnetorresistência de túnel (sensor de TMR) permite que as lentes no interior do módulo da câmara se movimentem com mais estabilidade e precisão.
  • O veio do motor de orientação modernizado aumenta a inclinação dinâmica através da qual o sistema da lente se movimenta. Assim, suportando facilmente o zoom ótico contínuo em ampliações mais elevadas.

OPPO

O zoom ótico contínuo apresenta assim distâncias focais equivalentes entre 85 mm e 200 mm. Segundo a OPPO, consegue captar imagens nítidas em qualquer nível de ampliação, desde grandes planos e retratos pessoais a paisagens distantes.

Ainda de acordo com a fabricante, os utilizadores podem desfrutar de uma transição fluida ao longo da gama do zoom ótico contínuo com uma qualidade de imagem comparável com a de uma DSLR.

Por fim, esta tecnologia previne problemas comuns como o salto, a inexatidão do equilíbrio de brancos ou o desvio de cor que os sistemas de zoom multi câmara convencionais podem sofrer.

3. Tecnologia de estabilização OIS em 5 eixos

OPPO

A tecnologia de OIS (optical imagem stabilization) de cinco eixos, que permite que o processador do sistema receba dados de movimento do giroscópio, os analise e divida pelos respetivos componentes através de algoritmos.

Em seguida, os dados são transmitidos para os dois componentes amovíveis, a lente e o sensor de imagem. Estes são impulsionados por motores de rolamento de esferas e ligas metálicas com memória de forma, respetivamente.

OPPO

Num movimento relativamente curto, as imagens são estabilizadas sobretudo através do OIS de deslocação da lente, abrangendo a deslocação horizontal (x) e a vertical (y).

Contudo, quando a amplitude do movimento é relativamente maior, o OIS de deslocação do sensor será também utilizado. É aqui incluída a deslocação horizontal (x), a deslocação vertical (y) e o rolamento, em conjunto com a compensação algorítmica. Isto para alcançar a estabilização em cinco eixos de espaço.

Segundo a OPPO, isto permite alcançar um ângulo de estabilização máximo de ±3°, três vezes mais do que a tradicional tecnologia de OIS em dispositivos móveis. Ao passo que o sensor pode também deslocar-se com uma precisão de 2 μm.

A tecnologia de OIS de cinco eixos da OPPO será comercialmente lançada nos produtos OPPO a partir do primeiro trimestre de 2022.

4. Algoritmos da OPPO para a câmara por baixo do ecrã

Por fim, a OPPO revelou ainda a sua solução de câmara por baixo do ecrã para as próximas gerações de smartphones. Trata-se de uma nova geometria de pixeis que visa garantir um ecrã de alta qualidade de 400 ppp na área da câmara por baixo do ecrã.

Para tal, recorrendo a uma cablagem transparente e a um novo design, o resultado é uma qualidade de ecrã muito mais requintada e uma experiência visual mais harmoniosa.

Na prática, cada circuito de pixel a impulsionar apenas 1 pixel (“1 para 1”) no ecrã e a tecnologia de compensação algorítmica precisa da OPPO, a cromaticidade e o brilho de todo o ecrã são controlados com maior precisão. Apresenta um desvio de cerca de 2% apenas e uma vida útil do ecrã melhorada em até 50%.

OPPO

Além disso, o Instituto de Investigação da OPPO nos EUA desenvolveu uma série de algoritmos de imagem de IA, incluindo redução da difração, anticondensação, HDR e AWB. Isto para otimizar em maior profundidade a qualidade da imagem da câmara sob o ecrã.

O modelo de redução da difração da IA da OPPO foi treinado recorrendo a dezenas de milhares de imagens para controlar problemas causados pela difração na fonte da luz. Assim, permitindo a captação de imagens mais nítidas e com um aspeto mais natural.

Infelizmente, a OPPO não revelou quando é que este último conceito seria aplicado aos seus smartphones.

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.