Oppo deve ser a próxima empresa a afastar-se dos processadores Snapdragon

Carlos Oliveira
Comentar

Um relatório da publicação Nikkei Asia dá conta da possibilidade de a Qualcomm perder mais uma cliente de peso para os processadores Snapdragon. Isto porque a Oppo estará a desenvolver o seu próprio SoC.

A concretizar-se este rumor, a Oppo será mais um nome de peso a abandonar os semicondutores produzidos pela americana Qualcomm. Seguirá os passos de outros tubarões como a Samsung, Apple ou mais recentemente a Google.

Oppo pode lançar o seu próprio processador em 2023 ou 2024

Esta não é a primeira vez que se fala na possibilidade de a Oppo desenvolver um processador próprio para os seus smartphones. A tese foi levantada em 2019 com o aparecimento de uma patente relacionada com o projeto.

Oppo Fijnd X3 Pro

Agora, a Nikkei Asisa aponta que o primeiro SoC da Oppo deverá atingir o mercado em 2023 ou 2024. É certo que ainda faltam alguns anos para o seu lançamento, mas a espera compensará pela utilização do processo de litografia de 3 nanómetros.

Conforme avança a fonte, este processador poderá ser apelidado de Oppo M1, embora tal possa não se concretizar em virtude das semelhanças com o processador da Apple. Contudo, nada disto está confirmado.

Para levar este projeto a bom porto, a Oppo terá contratado pessoal altamente qualificado e experientes no que respeita à Inteligência Artificial. Terá inclusive contratado colaboradores da Huawei, Qualcomm e MediaTek.

O desenvolvimento de um SoC pela mão da Oppo terá sido acelerado após sanções que afetam atualmente a Huawei. Confrontados com a possibilidade de se verem impedidos de aceder a tecnologia americana, a Oppo terá apressado as coisas para não ser atingida por eventual decisão nesse sentido.

A ser tudo isto verdade, a Qualcomm perde mais um nome de peso na sua lista de clientes. Atualmente, a Oppo é a quarta força no mercado global de smartphones e utiliza apenas processadores Snapdragon no seu portefólio.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.