OnePlus X: A razão pela qual esta gama devia ressuscitar

Filipe Alves

OnePlus X: A razão pela qual esta gama devia ressuscitarFalou-se que a OnePlus poderia ver a trazer de volta o OnePlus X. O smartphone que foi revelado em 2015 e descontinuado alguns meses depois, conquistou o coração de todos aqueles que queriam um gama-média/alta por um preço aceitável.

Perdemos a conta que na 4gnews recomendámos o OnePlus X. O terminal tinha quase tudo o que poderíamos esperar. O dispositivo oferecia uma qualidade de construção cativante, especificações bem acima da gama-média e um preço que dava uma abada na concorrência. Sem falar do sistema operativo Android, que era tão simples quanto o Android puro.

Vê ainda: Space X: “StarMan” está dentro de um Tesla a voar pelo Espaço

Quando li pela primeira vez que a OnePlus poderia estar a ponderar trazer esta gama à vida fiquei sinceramente feliz. Embora existam muitos smartphones intermediários, nenhum faz um trabalho tão bom quanto o OnePlus X fazia na altura.

O OnePlus X era uma simbiose de software e hardware

Carl Pei, VP da OnePlus, confirmou mais tarde que não passavam de rumores e que não estava nos planos da marca chinesa ressuscitar a antiga gama. Mas então porquê? Será que um terminal destes não teria sucesso nos dias de hoje?

Embora a OnePlus não acredite que o sucessor possa ser uma opção válida, darei as minhas razões e ideias para que este smartphone chegasse mais além.

O negócio da OnePlus é maioritariamente online. Tirando o caso da operadora O2 no Reino Unido, a marca vende quase todos os seus produtos pela internet. Desta forma consegue poupar em custos extra que só farão o preço do terminal subir.

A marca poderia continuar a ter a mesma filosofia para um possível sucessor do OnePlus X. Só o teria de conseguir disponibilizar em mais pontos de venda. Falo de conseguir dar a lojas online europeias melhor assistência e mais stock. Repara que falo da Europa e não da Ásia ou América.

Os Estados Unidos da América vivem para comprar topos de gama e os Asiáticos podem ser muitos mas a concorrência é muito mais feroz. Na Europa tens a Huawei a dominar e outras marcas a tentar sobressair. É o caso da Xiaomi, BQ ou Wiko por exemplo.

Com um apoio a lojas online de cada país na Europa como vendedor oficial, não só os clientes teriam mais segurança na compra, como o produto estaria mais rapidamente nas mãos do cliente final. Ou seja, voaria das prateleiras.

Os smartphones da Huawei tem saído todos iguais. Mudam aqui ou ali, mas é mais do mesmo. Há falta de um bom gama-média no mercado. Falo relativamente à simbiose entre hardware e software. Porque acham que o Xiaomi Mi A1 com Android One está a ser bem recebido?

Tem muito mais lógica um OnePlus X do que mais um "T"

Temos ainda outra razão que na minha opinião é mais óbvia. Não tem lógica mandar dois smartphones topos de gama para o mercado se podes mandar um gama-média de qualidade e um gama-alta.

A gama "T" está a descorar a OnePlus. Lançar flagships de 6 em 6 meses não faz bem a ninguém, veja-se o exemplo da Sony.

A OnePlus tem uma oportunidade de ouro para realmente fazer a diferença. A marca que alega "Never Settle" (nunca assentar) está a ficar acostuma a ter a legião de fãs a investir sem pensar duas vezes. Porém isso pode mudar rápido. Não faria mal à empresa chinesa ver outras opções, deixar o orgulho de lado e oferecer novas possibilidades.

Assuntos relevantes 4gnews:

Google – Marcar viagem e hotel através da pesquisa ficou mais simples

Nokia. Certificação de novos smartphones Android na véspera do MWC 2018

Samsung Galaxy C10 com Snapdragon 660 e Android Nougat na AnTuTu

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.