OnePlus 3 : Review / Análise em Português

Rui Bacelar

A irreverente marca chinesa está de volta com um novo smartphone Android. O OnePlus 3 custa 399€ através do site da marca e, sendo enviado de armazém no espaço europeu, em cerca de uma semana, estará à porta de tua casa (sem controlo alfandegário).

Design e qualidade de construção

O OnePlus 3 possui conectividade NFC e Dual-SIM, só fica mesmo a faltar a resistência à água e ao pó (certificação IP68).

As poucas queixas que lhe tenho a apontar neste departamento prendem-se com a textura do equipamento, sendo um pouco escorregadio e isto, aliado ao seu tamanho, poderá resultar em algumas quedas.

Performance

Equipado com um processador topo de gama da Qualcomm, o Snapdragon 820 tem 4 núcleos de processamento, 2 dos quais a 2.15 GHz e 2 núcleos a 1.6 GHz (Cortex-A53). Os gráficos estão entregues à Adreno 530 e com 6GB de memória RAM não há aplicação que não corra perfeitamente, para além de lhe dar bastante margem para aguentar alguns anos de utilização. A navegação entre menus, a alternância entre aplicações e utilização de aplicações é extremamente rápida, perfeitamente fluída e sem qualquer tipo de soluço.

O OnePlus 3é, provavelmente, o smartphone mais rápido que encontrarás no mercado, aqui fazem-se sentir os 6GB de memória RAM, podes deixar todas as aplicações abertas e ele continua a portar-se maravilhosamente.

As suas especificações num vislumbre:

  • Ecrã de 5.5 polegadas AMOLED
  • Resolução Full-HD 1080p com 401ppi
  • Processador Qualcomm Snapdragon 820, quad-core até 2.15Ghz
  • 6GB de memória RAM
  • 64GB de armazenamento não expansível
  • Bateria de 3000 mAh
  • Android 6.0 Marshmallow (Oxygen OS)
  • Câmaras de 8MP e 16MP

OnePlus 3 é o Android 6.0 Marshmallow com a interface da marca, a Oxygen OS, uma abordagem bastante fiel ao Android Puro a nível visual. Contudo esta interface acrescenta várias opções de personalização (Modo Escuro, Modo Noturno, Escolha da cor do acento), além de várias opções de produtividade e funcionalidades extra (Vista Ambiental, Ativação do ecrã por proximidade, a Estante, ativação da câmara e lanterna mesmo com o ecrã desligado ao desenhar um "O" e um "V", respectivamente).

Relativamente a esta Interface a minha única crítica prende-se com o aspecto demasiado formal ou demasiado técnico e purista da Oxygen OS, especialmente quando a comparamos com uma TouchWiz (Samsung) ou Xperia UI (Sony), estas últimas bem mais envolventes, com um pouco mais de "vida".

Ecrã

O ecrã deste OnePlus 3. Contudo, poderás ajustar o equilíbrio de cores nas Definições, para além de poderes escolher o modo RGB nas opções de programador, (para ativar as opções de programador vai a Definições- Sobre o dispositivo e pressiona repetidamente até te aparecer o aviso de que as opções de programador se encontram activas, depois retrocede para as Definições e encontrarás este novo menu).

Pessoalmente, creio que ativando o modo RGB obtemos umas cores bem mais naturais e fieis, aqui o problema não era o hardware mas sim o software. Algo que felizmente já foi amenizado. De resto, é um ecrã bastante típico para os padrões de 2016 e apesar de já termos quase todos os topos de gama com uma resolução de ecrã Quad-HD, o preço deles é consideravelmente superior.

Câmaras: Fotografia e Vídeo

O OnePlus 3, seja em 4K Ultra-HD ou em 1080p Full-HD.

Autonomia

O OnePlus 3 vem equipado com a tecnologia de carregamento rápido, para além do carregador rápido já incluído da caixa. Em apenas meia hora consegui carregar cerca de 62% da sua bateria, carga suficiente para 1 dia de utilização moderada.

Concluindo, a sua autonomia é medíocre na melhor das hipóteses mas o carregamento rápido (DASH), é um grande alívio e veio nivelar a minha opinião.

Conclusão

Com uma qualidade de chamada muito boa, perfeita claridade de vozes em ambos os lados da linha (se bem que o volume podia ser um pouco mais elevado), o OnePlus 3 o melhor Android que podes comprar? A resposta é um simples e rotundo não! Temos smartphones com melhor qualidade de construção, com melhor autonomia e com melhor câmara. Contudo, nenhum outro consegue oferecer tanto por tão pouco e aquilo em que porventura não é perfeito deixa-nos com uma pertinente questão. Será que compensa pagar (bastante) mais para termos uma câmara ligeiramente melhor, uma autonomia superior ou uma qualidade de construção tangencialmente melhor?

Em suma, esta jovem marca conseguiu criar aqui um autêntico topo de gama, com todos os ingredientes certos e na medida exacta para que o preço se mantenha extremamente competitivo. Sejamos sinceros, são 399€ que nos dão a sensação de ter comprado um equipamento de 700 ou mais euros.

Talvez queiras ver:

  • Umi Super Review em Português | Tudo o que precisas de saber
  • NO.1 D6 Review | O smartwatch que é na verdade um smartphone

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.