OnePlus 10 Pro pode superar Xiaomi neste pormenor

Bruno Coelho
Comentar

A Oppo apresentou a sua tecnologia de carregamento de 125W ainda em 2020. Mas ao contrário da Xiaomi que já contempla velocidades de 120W em vários smartphones, a Oppo ainda tarda em colocar esta tecnologia em vários equipamentos do seu espólio.

Segundo revela o leaker Mukul Sharma, 2022 será o ano em que a Oppo vai efetivamente espalhar esta tecnologia por vários dos seus smartphones. Tanto a série Find X4 ou Oppo N, como o Reno 8 Pro poderão ter esta tecnologia, mas não serão os únicos.

OnePlus 10 Pro pode chegar com carregamento de 125W

Também nas suas submarcas, a Oppo poderá colocar esta velocidade de carregamento. Segundo a mesma fonte, o OnePlus 10 Pro pode chegar com o carregamento de 125W, assim como o Realme GT 2 Pro.

Para se ter noção do potencial desta velocidade de carregamento, smartphones com baterias de 4500mAh podem desta forma carregar em menos de 20 minutos as suas baterias.

Ainda que cada vez mais debaixo da asa da Oppo, o OnePlus 10 Pro não deixa de levantar bastante curiosidade junto dos fãs da marca. E nas últimas semanas começaram a surgir as primeiras imagens não oficiais do alegado design do smartphone.

Estas imagens divulgadas por Steve H.McFly (On Leaks) mostram um smartphone com um módulo de câmaras bastante generoso. Este estende-se ligeiramente para a lateral direita, à semelhança do Samsung Galaxy S21 Ultra.

Depois de a Xiaomi trazer a velocidade de carregamento de 120W para terminais como o Black Shark 4 ou o Xiaomi 11T Pro, promete fazê-lo em cada vez mais terminais em 2022. Pelo que esta aposta da Oppo é o caminho natural para acompanhar a concorrente.

Editores 4gnews recomendam:

  • OnePlus 10 Pro contará com design que vai dar que falar
  • OnePlus 10 revela design muito semelhante com OPPO Reno 7 Pro
  • OnePlus 8 começa a receber o Android 12, mas não é para todos
Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.