OnePlus 10 Pro pode desiludir os mais exigentes com um pormenor

Bruno Coelho
Comentar

O OnePlus 10 Pro será o principal smartphone topo de gama da submarca da Oppo para 2021. E agora que surgiram as primeiras renderizações sobre o terminal e até a sua possível janela de lançamento, começam a surgir outros rumores sobre o equipamento.

OnePlus 10 Pro pode chegar sem câmara periscópica

Digital Chat Station, reconhecido leaker, veio a público afirmar que o OnePlus 10 Pro pode desiludir os fãs mais exigentes. Isto porque, ao contrário do que se podia esperar, não terá direito a uma câmara periscópica.

Digital Chat Station na rede social Weibo sobre o OnePlus 10 Pro
Digital Chat Station na rede social Weibo sobre o OnePlus 10 Pro

Segundo esta fonte, o OnePlus 10 Pro deve chegar com uma câmara telefoto “comum”. Isto significa que os seus níveis de zoom não deverão ir muito além do que já vimos anteriormente.

É referido que o OnePlus 10 Pro deve ter um zoom ótico variável de 3,3 vezes, que é o que conta para efeitos de não haver perda de qualidade. No entanto, a fonte refere que o zoom digital chegará às 30 vezes.

Renderização não oficial do OnePlus 10 Pro
Renderização não oficial do OnePlus 10 Pro. Crédito: OnLeaks

O facto de ter este nível de zoom ótico não significa que o OnePlus 10 Pro não possa apresentar bons resultados neste segmento. Mas a ausência de uma câmara telefoto com maior resolução, acabará por sacrificar a qualidade.

Tanto no OnePlus 8 como no OnePlus 9 Pro, a marca não apostou em câmaras periscópicas para efeitos de zoom. E segundo esta fonte, também não o fará na próxima geração.

A parceria com a Hasselblad será novamente um dos destaques do OnePlus 10 Pro. E mesmo sem uma câmara periscópica, é de esperar que tenha um dos melhores setups fotográficos da indústria. Como qualquer rumor, devemos olhar para esta afirmação com uma 'pitada de sal'.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.