"O Matador" - À busca de uma vingança a todo o custo

Rute Ferreira

Netflix O Matador

Desde o dia 10 de Novembro que, o espectador pode assistir à primeira estreia mundial de um filme brasileiro original Netflix, com um actor português.

O filme “O Matador” conta com a participação de Diogo Morgado como protagonista da história. Esta longa-metragem com realização e produção brasileiras passa-se no sertão de Pernambuco no início do Século XX e, reporta o público para os filmes de Western ou do faroeste, onde existem terras sem lei e cowboys à procura de vingança e de justiça pelas próprias mãos.

Vê ainda: Justice League – Filme da DC é bom, mas havia espaço para mais!

“O Matador” narra a história de um homem chamado Cabeleira, interpretado por Diogo Morgado (que podemos ver também, em filmes portugueses e estrangeiros como “Malapata” e “Filho de Deus”), que cresce à espera de um homem que tem por nome Sete Orelhas interpretado por Deto Montenegro (que entrou também nos filmes “ A Despedida” e “Colegas”) que o criou e ensinou tudo o que sabe.

Quando Cabeleira toma coragem e decide procura-lo, vê-se confrontado com vários perigos e descobertas que o tornam no Matador, nomeadamente quando lhe é revelado que Sete Orelhas foi assassinado. Cabeleira decide vingar-se a todo o custo da morte do único homem que o protegeu e que tinha visto até então.

Tal como muitos outros, "O Matador" está disponível na Netflix!

O realizador Marcelo Galvão, inspirou-se na obra “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa para fazer este filme, o qual se torna exemplar pela fotografia e pelo cenário. Ambos exibem bem, a dureza profunda que se vive no sertão da época, mostrando também a agressividade e a violência, principalmente contra as mulheres.

No entanto, apesar de Diogo Morgado convencer com a sua personagem e o seu sotaque nordestino, ao longo do filme a narrativa torna-se confusa. Não há uma boa transição entre as personagens e a forma como se conta a história é um pouco básica e mostra quase tudo, não deixando espaço ao espectador para imaginar o que poderá acontecer.

Embora, no geral, a interpretação das personagens até seja boa, tem pouca consistência.

Quer se goste ou não de Diogo Morgado, a verdade é que este está a dar “cada vez mais cartas” na sua carreira nacional e internacional, sendo já considerado um dos actores portugueses mais ecléticos do panorama artístico nacional da actualidade.

Outros assuntos relevantes na 4gnews:

Comprarias um smartphone Samsung Galaxy S9 mini?

Opinião – OnePlus 5T, mais que “flagship killer”, “OnePlus’ killer”

Twitter para Android vai permitir o envio simultâneo de vários “Tweets”