O Fundador
O Fundador interpretado por Michael Keaton

Numa altura em que se fala tanto no consumo prejudicial da comida “fast-food”, chega-nos o filme “ O Fundador ” para nos baralhar um pouco as ideias. Se é verdade que, há cada vez mais estudos e evidências que o conceito da comida rápida, pronta em poucos minutos, nos faz mal. Também o é, a ideia trazida com este filme; a persistência e a determinação compensam .

É quase como uma fonte de inspiração para quem pretende “subir” na vida, e acabamos até, por não pensar muito do negócio que o filme representa mas a forma como o mesmo mostra a sua expansão.

Vê ainda: House of Cards 5.ª temporada – O grande dilema que envolve Frank Underwood

   

Michael Keaton que faz de Ray Kroc, é um vendedor de máquinas de fazer batidos, que recebe uma chamada com o pedido de uma grande encomenda dessas máquinas. Surpreendido pela solicitação, decide ir até ao restaurante de onde recebeu o pedido. Quando chega ao local, fica perplexo quando vê um restaurante completamente inovador chamado McDonald’s.

Um espaço estabelecido por um sistema rápido, onde os clientes não precisam de se sentar para comer, e muito menos de faca e garfo. Quando conhece os donos do restaurante McDonald’s, dois irmãos chamados Dick e Mac (Nick Offerman e John Lynch respectivamente).

Ray Kroc - O fundador do McDonalds's
Ray Kroc – “O fundador” do McDonalds’s

Pessoas simples e sem grandes ambições, mas muito organizados no seu negócio, depressa os ataca com um discurso mordaz para expansão do negócio prometendo fazer milhões, franqueando o restaurante por todo o país.

“O Fundador”: A ambição e persistência foram o segredo do negócio

A ambição de Ray torna-se desmedida, e muitas vezes o próprio espectador envolve-se no discurso ambicioso de vendedor. Michael Keaton é um actor bastante versátil e torna a narrativa do filme brilhante, o facto do filme ser baseado em factos reais ainda nos prende mais o interesse.

O poder e o sucesso que Ray vai conquistando, faz-nos ver o lado negro do “sonho americano”, onde a ganância e o dinheiro muitas vezes, passam a ser predominantes.

Todos gostamos de saber como alguém chega ao sucesso, e este filme absorve-nos como se estivéssemos numa campanha de marketing, do qual só queremos ver o resultado final. Quase que nos esquecemos da tirania de um homem que só gostava de dinheiro e que no fim consegue ver o seu objectivo concretizado.

Outros assuntos relevantes:

Prison Break: pequena análise a uma mão completa de episódios

Get Out: O thriller social sobre terror e racismo de Jordan Peele

Boruto: Naruto Next Generations – Os 5 primeiros episódios!

Sempre gostei da forma como uma história se pode transformar no grande ecrã! Desde que me lembro, sempre fui uma apaixonada por cinema, e procuro também fazer da minha vida um filme apaixonante!