Nova patente da Apple mostra um material tipo metal mas que recebe rede

Filipe Alves

Apple logo iPhone

Se és daqueles que não gosta das riscas nos iPhones, esta nova patente poderá ser a resolução para o teu problema. Estas riscas em cima e em baixo no iPhone 6 têm razão de ser, são feitas para a recepção de rede. Certamente lembras-te do iPhone 4 ter sido criticado por não poderes atender com a mão esquerda ou ficarias sem rede.

Estas riscas servem apenas para fazer com que a rede e as ondas rádio comuniquem entre o metal. Segundo esta nova patente da Apple, o design do iPhone estará prestes a mudar, este novo material é idêntico ao metal, no entanto, terá a possibilidade de absorver estas ondas eliminando assim a função das tão criticadas riscas.

A patente da Apple refere exactamente o material:

"Composite structures that have an appearance of an anodized bulk metal but that is non-capacitive and/or radio frequency (RF) transparent are disclosed. The composite structure can be part of an enclosure of an electronic device. The composite structure can give the enclosure a metallic look without interfering with the functioning of some electronic components of the electronic device, such as RF antennas, touch pads and touch screens. Some embodiments involve forming a metal oxide layer and depositing a non-capacitive layer on the metal oxide layer. Some embodiments involve forming an imitation metal oxide layer and depositing a non-capacitive layer on the imitation metal oxide layer."- Patente da Apple

patente apple

Basicamente diz que o novo material dará parecenças de metal mas sem interferir como o metal o faz, dando assim mais opções a nível estético. Não acredito que possamos ver este material já no iPhone 6s, mas espero que para o iPhone 7 seja uma realidade.

Talvez queiras ver:

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.