Netflix vai ter jogos no catálogo, e já se sabe quando

Bruno Coelho
Comentar

Avançamos em maio que a Netflix, gigante do streaming de séries e filmes, estava a dar passos concretos para dar mais opções aos seus utilizadores. Entre estas estaria a aposta no segmento gaming, de forma a concorrer com serviços como o Google Stadia ou Xbox Cloud.

A Bloomberg afirma que a Netflix vai começar a ter jogos no seu catálogo já a partir do próximo ano. E já terá contratado um antigo executivo da Electronic Arts e do Facebook para ser um dos líderes do movimento.

Mike Verdu será vice-presidente do desenvolvimento de jogos na Netflix. Após trabalhar no mesmo cargo no Facebook onde contactava diretamente com programadores de jogos para os headsets de realidade Virtual, os Oculus.

Tal como referimos acima, a Netflix quer disponibilizar jogos no seu catálogo já a partir do próximo ano. Estarão, ao que tudo indica, numa nova secção, numa estratégia semelhante ao que a plataforma fez com especiais de comédia ou documentários.

Netflix não pretende aumentar preços numa fase inicial

A fonte que terá informado a Bloomberg refere ainda uma boa notícia para os consumidores. A Netflix não pretende cobrar nenhum valor extra pelo conteúdo de gaming, podendo assim trazer novos consumidores para o serviço.

Com milhões de subscritores mundialmente, a Netflix pode ser uma grande alavanca para tornar o cloud gaming algo com a dimensão que ainda não tem. Serviços como o Google Stadia funcionam muito bem, mas o facto de os jogos estarem facilmente acessíveis aos milhões de utilizadores da Netflix, vai certamente tornar a ideia muito mais popular.

A Netflix vai assim desenvolver a sua equipa nos próximos meses. Isto pode, não só fidelizar novos clientes, como trazer muitos novos. Até porque nenhum dos concorrentes da Netflix tem (para já) jogos no seu catálogo.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.