Netflix tem nova estratégia para conquistar assinantes

Mónica Marques
Comentar

Depois de ter perdido uma enorme fatia de assinantes, a Netflix parece disposta a algumas concessões para voltar a conquistar o seu público.

Uma das novas estratégias será permitir que os assinantes visionem filmes e séries antes da sua estreia.

As razões que levaram a Netflix a perder assinantes

Netflix Caixa Mistério
A Netflix disponibilizou uma nova funcionalidade, designada por Caixa Mistério, para o seu público infanto-juvenil

Ultimamente, as notícias relacionada com a Netflix dão conta da redução tremenda que a plataforma sofreu na sua carteira de assinantes. As razões para tal acontecer são diversas, desde logo a começar pela forte concorrência que a Disney+ e a HBO estão a fazer.

Também não terá ajudado, a notícia de que a conhecida plataforma de streaming quer acabar com as contas partilhadas. Esta opção levou muitos utilizadores para a Netflix e acabando poderá levar a que um número, para já incalculável, de assinantes saia da plataforma.

Esta é, aliás, uma das razões que a Netflix apresenta para a perda de assinantes, sendo que responsabiliza o mercado russo pelas pelas perdas sofridas.

Mas parece que a conhecida plataforma encontrou uma nova estratégia para inverter a situação de perda. De acordo com o site MSPoweruser, em breve a Netflix pode permitir que os seus assinantes vejam séries e filmes antes de estes estrearem.

Segundo a mesma fonte, a estratégia está já a ser testada com um grupo de utilizadores nos Estados Unidos da América. Ao que tudo indica, os utilizadores vão poder usufruir deste benefício durante seis meses.

Netflix pode permitir que assinantes vejam filmes e séries antes da estreia, mas há um problema

Depois de assistirem ao filme ou série antes da estreia, os utilizadores são convidados a preencher um questionário. Não ficou esclarecido se esse feedback irá servir para alterar o conteúdo visionado ou se será utilizado em conteúdos futuros.

Outro ponto que também não está claro é se os utilizadores terão de assinar um acordo de confidencialidade, o que é uma das opções mais prováveis.

A ideia é interessante, até porque envolve ativamente os utilizadores nos novos conteúdos. No entanto, há um pequeno problema. Os conteúdos (filmes ou séries) mais desejados pelos utilizadores continuam a estar limitados ao país de origem da plataforma, os Estados Unidos da América.

Aliás, os testes que estão agora a decorrer envolvem precisamente apenas utilizadores norte-americanos. Por outras palavras, esta estratégia tem tudo para ser bem-sucedida... apenas nos Estados Unidos da América.

Talvez a empresa esteja a equacionar outras formas de angariar assinantes para os restantes mercados do mundo onde está presente. Recentemente foi também avançado que a Netflix podia introduzir transmissões ao vivo nos seus conteúdos.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.