Netflix pode lançar planos mais acessíveis, mas há um senão

Mónica Marques
Comentar

Depois de ter sido anunciado que a Netflix ia "castigar" os utilizadores que partilham contas com encargos extra, eis que chegam as boas notícias.

Ao que tudo indica, a plataforma de streaming está a considerar o lançamento de planos mais acessíveis para aumentar a sua base de clientes. Mas há um senão: os planos mais baratos implicam a visualização de anúncios.

CEO da Netflix considera explorar planos mais baratos com publicidade integrada

Netflix
Netflix está a repensar as suas estratégias para aumentar a base de assinaturas

Recentemente, foi anunciado que a Netflix vai começar a a cobrar encargos extras aos utilizadores que partilham contas na plataforma de streaming. De acordo com as informações divulgadas, esta medida será testada na prática, muito em breve, em três países: Chile, Costa Rica e Peru.

Mas agora chegam as boas notícias para todos os utilizadores da conhecida plataforma. Aparentemente, a Netflix está a considerar disponibilizar planos mais baratos para aumentar a sua base de clientes.

A informação chega através do próprio CEO da empresa, Reed Hastings, que afirmou agora que a plataforma poderá explorar o potencial de planos mais baratos que estejam apoiados na visualização de anúncios. E este é o "senão".

As declarações do CEO da Netflix surgem depois de a plataforma ter registado, pela primeira vez, um queda na sua base de assinantes. Segundo Reed Hastings, o atual mercado está a "obrigar" a empresa a repensar as suas estratégias, sendo a disponibilização de planos mais acessíveis uma hipótese em aberto.

Nas mesmas declarações, Hastings deixou claro que a Netflix não prefere a "complexidade da propaganda à simplicidade da assinatura", mas tendo em conta que já abrange um número elevado de lares junto do seu público alvo, agora é necessário fazer algumas mudanças para que o serviço possa crescer e chegar a outros utilizadores.

Planos mais acessíveis da Netflix podem demorar dois anos a chegar aos utilizadores

Reed Hastings adiantou ainda que estes novos planos mais acessíveis, baseados na visualização de anúncios, ainda não estão prontos. O CEO vai mais longe e explica que pode demorar de até dois anos a que esta ideia seja colocada na prática, de forma efetiva.

Com esta possibilidade em aberto, colocam-se várias questões, nomeadamente se os novos utilizadores estão interessados em ver anúncios para aceder ao conteúdo Netflix.

Mas, ainda mais importante, de que forma vão ser os anúncios inseridos na plataforma? Vão existir intervalos durante a série ou filme para o espaço comercial? Ou será que a Netflix vai adotar uma solução semelhante ao YouTube e passar o anúncio no início do conteúdo, criando também um botão que permite "escapar" depois de um determinado tempo de visualização?

Teremos que aguardar para saber mais pormenores, mas muito possivelmente os planos mais acessíveis podem demorar a chegar exatamente por esta razão. A plataforma terá de descobrir uma maneira de a publicidade não ser demasiado intrusiva para que possa cativar novos assinantes.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.