Mobile

O ano de 2017 a nível do mercado Mobile está a ser fantástico, tal como tinha previsto anteriormente. Quem disser que só os Galaxy S8 espelham essa espetacularidade estará a omitir tudo aquilo que já vimos e, de facto, foi o suficiente para vermos que o mercado está cada vez mais complexo.

Vê ainda: Samsung mostra em vídeo os testes à bateria dos Galaxy S8

   

No entanto, com quase quatro meses completados depois daquela passagem de ano nos Aliados, Terreiro do Paço ou Copacabana. Mesmo depois de já ter sido lançado o flagship da LG, Samsung e Huawei, por exemplo, parece que só em setembro irei olhar para toda a oferta com olhos de ver.

De facto, os terminais apresentados no primeiro semestre do ano foram espetaculares. Todos eles foram diferentes dos antecessores e claro, ficaram mais rápidos, ganharam uma câmara nova (ou quase), entre outras melhorias imensas. Contudo, focando um pouco mais no caso do Galaxy S8, por exemplo, talvez a Samsung se tenha retido um pouco no seu produto final.

Tal como a Xiaomi com o seu Mi 6. Mesmo a Huawei apresentou dois smartphones que, embora colossais, não apresentam sequer aquelas bordas finíssimas que tanto queremos ver hoje em dia num smartphone. Onde quero chegar com isto? Onde comecei anteriormente.

Mobile

Dado que 2017 é o ano em que se celebra o décimo aniversário desde o lançamento do primeiro iPhone, parece ser aquele onde, sem dúvida, todas as companhias tentarão dar tudo de si. Contudo, o fator tempo é muito crucial aqui. E tempo, neste caso, significa que todas as atenções caíram na segunda metade do ano, nomeadamente em setembro.

A Apple lançará um iPhone que deverá/deveria ser absolutamente incrível. Digo “deveria” porque Apple é Apple e nunca se sabe o que poderá sair de lá. Ou seja, há possibilidade de não apresentarem nada de diferente e andarmos todos a viver um sonho que não passará disso mesmo, de um sonho. Todavia, ao assumirmos que tal acontecerá, as outras fabricantes não se deixarão ficar para trás.

Consequentemente, para os fãs de todo o tipo de smartphones, só quero que pensem num Note 8 com tecnologia Dual-Câmara, num Mi Mix 2, num LG V30 ou num grande e fantástico Mate 10. Ah! Esqueci-me. E claro, de um possível Nokia 9 ou até mesmo de um Pixel 2.

São tantos os smartphones que poderão abanar completamente o mercado Mobile!

Tenho a certeza que muitos destes smartphones serão mais incríveis do que seria de supor devido ao lançamento do enigmático iPhone X. Assim, resta saber agora, ou no final do ano, se a compra de smartphones de gama-alta terá sido linear ao longo de 2017 ou nem por isso.

Eu cá acabarei por me retrair até ao nono mês do ano civil e apenas aí tomarei a minha decisão. Neste momento, face aos rumores, e visto que não há tantos quanto isso, o Galaxy Note 8 parece ser o primeiro na lista e, quem sabe, se não será a escolha no momento em que tiver de me dirigir a uma loja.

E claro, não adio a minha decisão por pensar que o Snapdragon 840 será melhor que o 835 ou porque 6GB de RAM compensam face a 4GB. Simplesmente penso que as (melhores) surpresas ficaram retidas para os terminais que aí vêm no segundo semestre do ano. Veremos se será mesmo isso que acontecerá no mercado Mobile.

Vê também: Microsoft vende Xiaomi Mi 5S na China de forma oficial

Diz-me o que pensas acerca desta opinião. Consideras que, para quem comprar um flagship/topo-de-gama, será melhor fazê-lo agora ou esperar um pouco mais? Afinal, só o verão ou o inverno nos separam desse momento.

Outros assuntos relevantes:

Motorola Moto X (2017): Veremos uma variante com 4GB RAM?

Sensor de impressões digitais do iPhone 8 volta a ser visto na sua traseira

Honor 9: Novas imagens trazem-nos à memória o Xiaomi Mi 6

Desde cedo comecei a interessar-me pelo que podia fazer no computador. Porém, a grande paixão surgiu com o primeiro telemóvel e complementou-se com os smartphones. Nada há a dizer, são simplesmente fantásticos e úteis em todo o tipo de situações.