MediaTek acusada de mentir nos testes de benchmark

Carlos Oliveira
3 comentários

Mentir em testes de benchmark já não é novidade, infelizmente. Marcas como a OnePlus, Honor ou Huawei já foram apanhadas nesta prática desleal e agora temos outro nome asiático com o mesmo problema.

Desta feita é a MediaTek que se depara com acusações de fazer batota na hora de testar os seus processadores em plataformas de benchmark. A acusação é feita pela publicação Anandtech depois de ter testado dois equipamentos com SoC´s da MediaTek.

Esta publicação teve na sua posse um exemplar do Oppo Reno 3 Pro com o Helio P95 e um Oppo Reno 3 com um Helio Dimensity 1000L. Foi quando o primeiro modelo consegui superar o Oppo Reno 3 na PCMark benchmark que as suspeitas começaram.

Oppo Reno 3 test
Performance real vs performance adulterada

Posteriormente, decidiram repetir o mesmo teste, mas com uma versão modificada da PCMark benchmark que não é reconhecida por smartphones. Neste caso, os resultados obtidos pelo Oppo Reno 3 Pro caíram 30% face ao primeiro teste, podendo a diferença chegar mesmo aos 75%.

MediaTek estará a usar um "modo desportivo" para alterar resultados

Perante tamanhas discrepâncias, a Anandtech decidiu analisar o firmware do Oppo Reno 3 Pro, onde encontrou referências a um "modo desportivo". Acredita-se que este modo seja despertado quando é detetada a presença de um programa de testes de desempenho, acelerando funcionalidades como o controlador de memória ou o agendador de tarefas.

Com estas modificações, é natural que o smartphone apresente uma performance acima do que é considerado normal. Ou seja, a MediaTek estará a fazer um overclock momentâneo aos seus chips para que estes possam alcançar melhores resultados quando colocados à prova em medidores de desempenho.

Reno 3 Pro

Sempre dizemos que este género de testes não é tudo e aquilo que realmente importa é a forma como o equipamento se comporta diariamente. No entanto, os resultados obtidos numa AnTuTu ou Geekbench são uma excelente publicidade para qualquer equipamento.

MediaTek já respondeu e diz que segue os padrões do mercado

Em resposta a estas acusações, a MediaTek afirma cumprir todos os parâmetros habituais no que diz respeito a testes de benchmark. Ademais, ela afirma estar confiante que os resultados obtidos são uma representação fiel das potencialidades dos seus processadores.

Ainda assim a empresa diz que as marcas que desenvolvem os smartphones podem adicionar modificações no software para despoletar modos específicos. Neste caso, modos que visam aumentar o desempenho do smartphone.

Ou seja, aquilo que a MediaTek diz é que são as marcas quem adicionam estes "modos desportivos". A MediaTek limita-se a desenvolver processadores capazes de oferecer a melhor experiência possível aos utilizadores, maximizando a autonomia dos equipamentos.

A MediaTek critica ainda a Anandtech por colocar em causa as suas práticas neste tema. Para a asiática, esta é uma prática recorrente na indústria e se as suas concorrentes o fazem, porque não o poderão também eles fazer?

Seja lá quem tiver a verdadeira culpa neste cenário, a Anandtech constatou que esta discrepância de resultados não está limitada aos Reno 3 e Reno 3 Pro. Também o Realme C3, Xiaomi Redmi Note 8 Pro e o Sony Xperia XA1 possuem referência ao tal "modo desportivo".

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.