Medalhas olímpicas de 2020 serão feitas de antigos smartphones

Filipe Alves

Os smartphones são caros porque oferecem a mais recente tecnologia do mercado e porque oferecem também materiais preciosos dentro deles. Se alguma vez estiveres para deitar um smartphone ao lixo, lembra-te que estás a desperdiçar um pouco de ouro e bronze.

Contudo, não penses que ao teres uma gaveta de smartphones velhos que estás rico. Não ligues já ao teu patrão para entregar a carta de despedimento. Os traços de objetos valiosos são pequenos, por isso é que é necessário milhares de toneladas destes equipamentos para fabricar as medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

Medalhas olímpicas de 2020 serão feitas de antigos smartphones

Ao que parece, o objetivo de bronze já foi alcançado. Das 48 mil toneladas de lixo eletrónico foram recolhidos 2700 quilos de bronze. Já o ouro é bem mais escasso. Essas 48 mil toneladas deram apenas 30 quilos de ouro. O equivalente a 93,7% dos objetivos traçados. Por sua vez a prata foi recolhida 4100 quilos e já estão nos 85,4% do objetivo final.

Medalhas serão feitas de componentes de smartphones antigos

Este lixo eletrónico foi conseguido em 5 milhões de dispositivos. Ou seja, a tua gaveta de smartphones antigos não é o teu plano poupança reforma. Pelo menos para já!

De acordo com as informações, os objetivos serão cumpridos no final de março de 2019 e tudo estará pronto para que os atletas dos Jogos Olímpicos de 2020 sejam o primeiros da história a receber medalhas feitas de objetos e materiais de antigos smartphones.

Em suma, é bom saber que ainda há alguém que queira saber do nosso planeta. Ainda que seja uma amante incondicional de tecnologia, temos de admitir que toda esta rápida evolução está a estragar o nosso amado e único planeta.

Editores 4gnews recomendam:

Facebook Messenger: Como apagar mensagens enviadas em 3 passos

LG G8 poderá ter no seu preço um dos principais entraves ao sucesso

Youtube offline suportará vídeos com mais qualidade

Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.