Mais de 23 milhões de cartões de crédito estão à venda na dark web

Carlos Oliveira
Comentar

Segundo um relatório da agência de cibersegurança Sixgill, mais de 23 milhões de cartões de crédito podem ser encontrados à venda em fóruns na dark web. Este é um número que se refere apenas há primeira metade do ano.

A liderar esta lista temos cartões de crédito Visa, com 57% do universo. Em seguida temos cartões MasterCard (29%) e ainda American Express (12%).

Que informações podem ser encontrados nestes fóruns ilegais?

Segundo o relatório da Sixgill, as informações roubadas sobre estes cartões de crédito estão a ser vendidas por valores a começar nos 5 dólares. Um valor que mostra que muitos dos hackers não almejam grandes lucros com a venda destas informações.

De entre os dados que estão a ser vendidos, podemos encontrar números de cartões de créditos e os correspondentes códigos de segurança (CVV). Este conjunto de dados será extremamente útil para o caso de alguém querer usar estes dados para compras online.

Temos ainda à venda informação da parte magnética do cartão. Este conjunto de dados poderá ser utilizado para replicar os cartões para uma utilização em lojas físicas.

EUA são o país onde mais se "roubam" cartões de crédito

É de notar que os EUA são o país de onde provem a maior percentagem dos cartões de crédito à venda nestes fóruns ilegais. Este país representa 64% do universo aqui em estudo. Em segundo lugar, aparece o Reino Unido, com 7.4% dos cartões de crédito à venda.

No extremo oposto temos a Rússia, com apenas 0.0014%. Muitos se interrogam o porquê deste país estar no fundo desta tabela e uma das razões é que muitos destes "roubos" possam ser originários precisamente deste país.

Como são obtidas as informações sobre os cartões de crédito

Em plataformas online, é hábito serem usados substitutos que em tudo se assemelham às plataformas reais. Nestes casos, os utilizadores acreditam estar a inserir os seus dados em websites fidedignos, mas quando tentam validar essas informações são confrontados com erros.

Nesse momento é tarde demais e os hackers já conseguiram guardar as informações relativas ao cartão de crédito. A partir daí, os meliantes podem utilizar esses dados para benefício próprio ou colocá-los à venda na internet.

Nos casos em que são copiados os magnéticos dos cartões, estamos perante um esquema mais elaborado. Para tal, normalmente é necessário instalar leitores em caixas ou terminais de pagamento para que se possa copiar os dados.

Comentar
Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.