Mac Pro com Apple Silicon terá uma importante desvantagem face aos modelos Intel

Carlos Oliveira
Comentar

São vários os rumores que indicam que a Apple apresentará este ano uma nova geração do poderoso Mac Pro. Ao que tudo indica, serão desvendadas duas versões do mesmo produto, uma com processador Intel e outra com Apple Silicon.

Na preparação para esse aguardado momento, a publicação Macworld deixa um alerta importante para quem espera pelo novo Mac Pro. Se és daqueles que gosta de mexer no hardware do teu PC, a nova versão com Apple Silicon não será para ti.

Mac Pro com Apple Silicon não será produto para quem gosta de trocar peças

A nota mais importante a reter desse texto é a falta de personalização que o novo Mac Pro com Apple Silicon terá. Ou seja, será bastante difícil, ou até impossível, trocar peças no próximo computador de trabalho da Apple.

Mac Pro

Essa realidade é um dos traços dos Mac Pro com processador Intel desde a sua génese. Estes produtos são concebidos precisamente a pensar nisso, recorrendo a mecanismos que facilitam a troca de peças caso o utilizador assim o deseje.

No entanto, com a transição para o possível M1 Max, essa personalização será certamente mais limitada. Isto porque todos os componentes vitais virão soldados no mesmo chip.

Tal como sucede nos smartphones, o M1 Max inclui os vários núcleos de processamento, bem como a respetiva gráfica. Ou seja, não será possível fazer uma atualização à gráfica sem mexer com o processador e vice-versa.

Se isso é visto como um contratempo para quem gosta de "brincar" com o hardware do seu computador, as vantagens dessa abordagem são notórias. Desde o lançamento do M1 que se notou que o desempenho destes processadores é impressionante a sua autonomia bem superior.

Claro que ainda é cedo para sabermos em pormenor qual será a abordagem da Apple ao futuro do Mac Pro. Todavia, a transição para o M1 Max é um alerta para maiores restrições na personalização dos componentes deste computador.

Editores 4gnews recomendam:

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.