LG G5

Foi no passado dia 21 de fevereiro que a Sul-Coreana LG apresentou oficialmente o seu novo LG G5, nos palcos da MWC. Este equipamento surpreendeu muita gente, principalmente pela característica modular que o mesmo oferece.

Graças aos denominados “Friends”, será possível acrescentar dois módulos que irão melhorar ainda mais a experiência do utilizador ao nível da câmara e reprodução de som, além da substituição da bateria original do LG G5. Porém ainda são desconhecidas as modalidades de comercialização do equipamento, algo que muitos querem saber o mais breve possível.

   

E é nesse sentido que surge agora uma informação preocupante, que se concerne “apenas” à região da America Latina, na qual se inclui por exemplo o Brasil. Segundo um representante da LG Chile, o LG G5 será comercializado nessa zona numa variante menos potente que o equipamento originalmente apresentado.

Vê também: Todas as especificações técnicas do LG G5

LG-G5---all-the-official-product-images-9

Segundo Cristián Correa, a referida zona Americana irá receber uma variante do novo flagship da LG, que deixa de ser considerado flagship, com um processador Snapdragon 652 e 3GB de RAM. Não deixa de ser verdade que este Snapdragon 652 oferece uma performance acima da média, mas nunca se poderá comparar à oferecida por um Snapdragon 820, são gamas absolutamente distintas.

Para piorar ainda mais as coisas, Correa avança ainda que a nova VR 360 também não chegará a ser comercializada no mesmo mercado, embora não tenha sido referida qualquer informação sobre os restantes “Friends”.

Esta decisão está a ser justificada sobre a situação atual que se vive em torno da moeda utilizada na região, a opinião das operadoras Chilenas e ainda a suposta falta de interesse na VR 360.

Mesmo não sendo visado, com estas informações, o mercado no qual me insiro, não posso deixar de demonstrar o meu desagrado com esta decisão, caso a mesma se venha efetivamente a confirmar. É uma absoluta descriminação para com os residentes e amantes de tecnologia daquela zona geográfica.

Independentemente de ser uma região com maiores ou menores possibilidades financeiras, se a LG se compromete com um lançamento à escala global, de qualquer dos seus artigos, tem a obrigação de distribuir o produto em causa na sua plenitude. Espero sinceramente que a LG venha a recuar nesta decisão, pois abrirá um precedente de desconfiança daquela população para com a empresa que poderá dar maus resultados à mesma.

Talvez queiras ver:

Viaphonearena
FontePisapapeles
O gosto por tecnologia foi algo que esteve sempre dentro de mim. Com o crescer do mercado dos smartphones, também o meu entusiasmo com os mesmos aumentou. Já nos tempos livres, as séries são o meu principal mata-tempo.