Lenovo mostrou à LG como fazer smartphones modulares com os Moto Z

Filipe Alves

A tecnologia é mesmo assim, quando pensamos que uma evolução é fantástica, uns meses depois temos um novo avanço de se tirar o chapéu.

A LG apresentou o LG G5 na MWC 16 em Barcelona. O equipamento é um excelente flagship com uma construção interessante e um design elegante. O smartphone mereceu, e merece, todo o crédito dado por ser o primeiro modular a realmente bater no mercado. A empresa Sul-Coreana trouxe-nos os "LG Friends" que podes adaptar no equipamento como módulos fazendo assim do smartphone mais preparado para situações adversas.

Contudo, na minha opinião, a LG podia ter feito melhor. A empresa "ficou presa" na ideia de criar um smartphone com bateria removível, que pode ser algo vantajoso, mas mais uma vez te questiono, quantas vezes tiraste a bateria do teu smartphone no último mês? Pois...

Vê ainda: Moto Z apresentados ontem podem ter alguns defeitos como por exemplo a fraca bateria do Moto Z, ou a grande saliência da câmara nos dois smartphones, no entanto, a ideia dos Moto Mods veio ensinar à LG como fazer as coisas.

Os 16 pins servem de íman para prender o modulo e seja uma capa, um powerbank de bateria extra, ou mesmo um projetor, os Moto Mods são práticos de utilizar e é aquilo que sempre desejei num smartphone modular.

O sucesso do Motorola ou dos Moto Mods vai depender de uma coisa, o preço. A LG jogou bem em fazer dos módulos não muito caros e a Lenovo terá de batalhar no mesmo campo, veremos até que ponto a popularidade da LG pode ser desmanchada com esta nova novidade da Lenovo.

Talvez queiras ver:

  • A Samsung é a marca favorita dos “Millenials”
  • Moto Mods continuarão a ser compatíveis com os futuros Moto Z
  • Moto Z Force anunciado oficialmente, elegância indestrutível!
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.