Como havia dito anteriormente, 2017 será, sem dúvida, uma ano espetacular para o mercado mobile. iPhone 8 e Galaxy S8, um dos três smartphones da Apple e um modelo do par de terminais apresentados pela Samsung, serão as principais estrelas.

Vê também: iPhone 8 terá ecrã maior mas as mesmas dimensões do iPhone 7

   

Ambos trarão inúmeras melhorias face às versões anteriores e muito interesse suscitarão, mesmo depois de apresentados. Como é óbvio, terão as suas diferenças e, uma delas, talvez a mais importante, será o período em que serão lançados – abril para o Galaxy e setembro para o iPhone.

E quais serão as diferenças entre eles? Pois bem, começando pelo iPhone, com base nos rumores relatados até aqui, o aparelho da empresa de Cupertino terá a possibilidade de carregamento sem fios. Poderia dizer: finalmente! Sim, é um ótimo recurso.

Porém, até que ponto é que um carregamento Wireless é mais benéfico que um carregamento rápido? Pois, também não sei. Contudo, tenha carregamento rápido ou não, qualquer mudança na forma de carregamento dos iPhones da Apple será, sempre, bem-vinda.


Em segundo lugar, o suposto iPhone 8 não terá um botão Home. O tão clássico botão que se tornou icónico com o primeiro de todos os iPhones e que se foi utilizado até aos dias de hoje poderá desaparecer. A Apple ja tentou mudar um pouco isso, ainda que muito ligeiramente, com os iPhones 7 mas apenas esse quebrará todo um ciclo.

Deste modo, o desbloqueio do smartphone passaria a fazer-se exclusivamente no ecrã, mesmo com a impressão digital. E claro, isso leva a uma outra especificidade do iPhone 8 – o seu ecrã. O ecrã do terminal será, à partida, edge-to-edge, ou melhor, terá bezels bastante pequenas.

Quando olho para o iPhone 7 penso como é que é possível estarmos no início de 2017 e o último modelo (cronologicamente) lançado pela Apple ter aquelas bordas (superior e inferior) tão grandes.

No entanto, as novidades em redor do ecrã não se ficam por aí. O iPhone 8 deverá ser o primeiro iPhone a ter um ecrã de tecnologia OLED. Essa alteração será algo bem benéfico e espera-se que venha a ter uma adesão positiva por parte do público.

Por fim, mas não menos importante, para além das excelentes especificações que o mesmo terá e, como é óbvio, de um ecrã maior, também poderá ser o primeiro grande passo da Apple no campo da Realidade Virtual. Veremos.

Já o Samsung Galaxy S8, esse sim, será apresentado bem mais cedo e sobre ele já há mais informação do qual se pode falar. Como é do conhecimento da maioria dos entusiastas da tecnologia, há algumas coisas que os Galaxy já tinham, quando comparados ao iPhone 8.

Vê ainda: Huawei P10: especificações de sonho e um convite promissor

Ecrã AMOLED e com laterais curvas ou possibilidade de carregamento Wireless são alguns dos exemplos. Porém, também aqui há espaço para melhorar. E parece que é o que a Samsung fará.

Dessa forma, de acordo com os rumores, o novo Galaxy S8 terá direito a um ecrã maior num corpo que não crescerá proporcionalmente a esse. Ou seja, também neste caso veremos um smartphone que terá umas bordas bem finas, quase inexistentes.


Ao contrário do que se poderia pensar no início, a possibilidade de comportar uma Dual-Câmara está (totalmente) descartada e, assim, continuaremos a contar com uma única câmara capaz de dar conta do recado.

Mais RAM e um processador bem mais capaz, o Snapdragon 835, deverão formar a parelha perfeita. O Galaxy S8 também marcará o fim da utilização da entrada USB Tipo-C por parte da Samsung, nos seus flagships. No ramo multimédia, também é capaz que o Galaxy S8 traga stereo speakers, ao contrário do que vem acontecendo.

A questão que continua a atormentar muita gente, em redor deste terminal tem que ver com o leitor de impressões digitais. Isto porque o botão Home desaparecerá e o Galaxy S8 parece não apresentar nenhum substituto. Claro que há aquele ao lado da câmara, mas será mesmo essa a melhor decisão por parte da Samsung?

Finalmente, os seus preços. Como sempre, ou pelo menos como tem vindo a ser habitual, estes desverão ser uns dos mais caros dispositivos do mercado, se não os mais caros. A questão que realmente se coloca é se o seu preço se manterá idêntico ou se aumentará ainda mais. Para bem dos consumidores, como eu ou tu, esperemos que não.

Estas são umas breves conclusões sobre possíveis mudanças dos dois smartphones mais esperados deste ano. Sem dúvida que valerá a pena aguardar por cada um deles.

Outros assuntos relevantes:

Xiaomi Mi 6: novo rumor desmente variante com ecrã curvo

MWC 17: O que esperar da Sony e dos Sony Xperia?

Vernee Apollo 2 chega na MWC com 8GB de RAM e 128GB ROM

FonteValue Walk
Desde cedo comecei a interessar-me pelo que podia fazer no computador. Porém, a grande paixão surgiu com o primeiro telemóvel e complementou-se com os smartphones. Nada há a dizer, são simplesmente fantásticos e úteis em todo o tipo de situações.