Intel i7-1185G7 é 30% superior ao M1 da Apple! Mas será mesmo assim?

Abílio Rodrigues
Comentar

A Intel chamou a atenção durante as últimas horas ao afirmar que a sua linha de processadores é superior aos M1 da Apple, sugerindo até mais 30% de desempenho do seu Core i7-1185G7 em relação ao SoC de Cupertino. O que muitos meios especializados têm chamado a atenção é que os testes apresentados pela Intel foram escolhidos a dedo para demonstrarem esta alegada superioridade.

A Intel apresentou uma comparação entre um MacBook Pro de 13 polegadas equipado com M1 e 16GB de memória RAM, contrapondo-o com um produto interno alimentado por um processador Intel Core i7-1185G7 e 16GB de RAM. Este processador da Intel oferece 4 núcleos, 8 threads e uma velocidade de relógio máxima de 4.8GHz.

Será o Intel i7-1185G7 mais poderoso que o M1 da Apple?

Intel
Comparativo entre MacBook Pro com M1 e computador desconhecido com i7-1185G7

Quase todas as imagens apresentadas pela Intel colocam o seu processador ao mesmo nível ou até acima do M1 da Apple nas mais variadas tarefas, mas nem tudo é o que parece.

Ao que parece, os benchmarks limitam-se a testes que obedecem às linhas orientadoras de utilização no mundo real da Intel. Infelizmente, estes testes não são muito usados por benchmarks independentes, o que coloca desde logo alguns empeçilhos à interpretação dos dados.

A Intel indica com base nestes testes que o seu chip é 30% mais rápido no geral que o M1, e cerca de 3 vezes mais rápido num sub-teste de melhoria de uma fotografia online.

Noutras tarefas como exportação de ficheiros PDF o i7-1185G7 parece levar também vantagem, tudo cenários bastante específicos e certamente escolhidos a dedo.

Apple acusa Intel de "atitudes desesperadas"

Intel

O que estes testes sugerem é que a intel está disposta a fechar os olhos a alguns aspetos relevantes do funcionamento de um processador para se colocar acima da concorrência.

A Apple usa o método de apresentar apenas os pontos positivos dos seus produtos, enfatizando a forma como a concorrência não consegue acompanhar o desenvolvimento.

Já a Intel parece estar disposta a escolher os testes e resultados que mais a favorecem, em vez de explicar os seus resultados à luz de benchmarks reconhecidos pela comunidade.

Para isso refere que os testes revelam que o M1 falha em vários cenários que medem coisas que podem facilmente ser feitas num MacBook Pro, como mudar para o calendário no Outlook ou dar início a uma conferência vídeo no Zoom.

A verdade é que Intel estará a dar passos para se aproximar da Apple, mas neste momento a vantagem ainda não está do lado da equipa azul. Uma coisa parece certa, não será a omitir dados e a apresentar testes inconsistentes que a Intel vai convencer os utilizadores.

Editores 4gnews recomendam:

Abílio Rodrigues
Abílio Rodrigues
Apaixonado por tecnologia desde que montou o seu primeiro computador, continua em fase lua-de-mel com tudo o que envolva um processador e permita umas sessões videolúdicas.