Instagram está a testar uma mudança no mínimo controversa

Bruno Coelho
Comentar

Ao longo dos últimos anos o Instagram tem tentado bater a concorrência de forma ligeiramente duvidosa. Primeiro com as Histórias, copiou o conceito do Snapchat. Mais recentemente, com os Reels, copiou o conceito do TikTok.

No caso do Snapchat, pode dizer-se que resultou e conseguiu diminuir a utilização dessa app. Já no caso do TikTok, o cenário é bem diferente, já que essa rede social mantém-se com níveis de popularidade bastante elevados.

Instagram prepara-se para transformar qualquer vídeo num Reels

Nesse sentido, o Instagram continua a tentar combater a popularidade do TikTok de todas as formas. E no mais recente teste, isso verifica-se com a possibilidade de tornar qualquer vídeo partilhado na plataforma num Reels.

Instagram is now making EVERY video a Reelh/t @ChristinaSBG pic.twitter.com/YLRDhT1nw0

— Matt Navarra (@MattNavarra) 30 de junho de 2022

Como podes ver na publicação feita por Matt Navarra, o Instagram parece querer que qualquer vídeo que partilhes na rede social seja um Reels. Dessa forma os utilizadores podem torná-lo mais criativo, e chegar a uma audiência superior.

“Estamos a testar essa funcionalidade como parte dos nossos esforços para simplificar e melhorar a experiência de vídeo no Instagram”, afirmou um porta-voz da Meta ao site TechCrunch. No entanto, ainda não se sabe se será algo definitivo.

Resta agora saber o que irá acontecer aos vídeos anteriormente publicados na plataforma, e se estes também se irão transformar em Reels. Além disso, fica a questão quanto à duração dos mesmos. Isto porque, no momento de escrita, se cifra nos 10 minutos, para contas não verificadas.

Cada vez mais o Instagram vai além de ser a rede social de partilha de fotografias com que se popularizou. E este é apenas mais um passo no distanciamento dessa ideologia inicial.

Editores 4gnews recomendam:

Bruno Coelho
Bruno Coelho
Vive entre a paixão pela escrita, a música e a tecnologia. Licenciou-se em Ciências da Comunicação na Universidade da Beira Interior em 2015, e fez parte da equipa que fundou o Jornal de Belmonte. Produziu vários podcasts independentes pelo caminho. Come especificações ao pequeno-almoço.