Huawei e ZTE estão ''banidas'' dos Estado Unidos da América

Rui Bacelar
EUA ZTE Nubia Black Shark Android Gaming Huawei smartphone Android
Tal como a ZTE, também a Huawei foi acusada de espionagem.

A partir de hoje os equipamentos de telecomunicações fabricados pela Huawei e pela ZTE estão banidos nos Estados Unidos da América. Entra em vigor a legislação que inibe várias fabricantes chinesas de operar livremente no 3º maior mercado mundial.

Chega assim ao fim um dos mais mediáticos braços de ferro entre o governo norte-americano e várias fabricantes chinesas. Note-se que a legislação - de carácter geral e abstracto - não visa especificamente a ZTE, Huawei ou qualquer outra marca em específico.

Vê ainda: Samsung Galaxy Note 10 chegará ao mercado em 2019

Certo é que as operações de várias fabricantes chinesas chegam ao fim, tal como as ambições de cada um para singrar neste mercado. Olhando para a letra da lei vemos uma imposição bem sucinta.

Nenhum sistema ou tecnologia que possa recolher algum tipo de informação do utilizador, em pequeno ou grande escala, será autorizado. Toda e qualquer tecnologia que possa ser utilizada com o fim de recolher informação do utilizador. Toda e qualquer possível via de acesso a tal informação será assim banida.

Huawei, ZTE e várias outras fabricantes chinesas sentirão as repercussões

Em suma, apesar de o novo diploma que hoje entra em vigor não banir especificamente a Huawei ou a ZTE, os seus efeitos serão sentidos por ambas. Algo que se aplica a várias outras fabricantes chinesas que sentirão a partir de hoje os efeitos da nova lei. Note-se que a partir de agora qualquer entidade que encete qualquer tipo de relações com uma entidade governamental norte-americana terá que rever todo o seu equipamento.

Huawei P20 Pro Apple ZTE EUA
A legislação entre hoje em vigor.

Desta forma o governo dos EUA está a purgar toda a sua esfera de influência de possíveis fugas de informação. Nesse sentido está também a alocar fundos para que estas agências, empresas e particulares possam trocar a sua parafernália de tecnologias e equipamentos sem incorrer em prejuízos.

O diploma legal estará em vigor durante um prazo de dois anos. Abrange desde os dispositivos móveis até aos equipamentos de video-vigilância. Em suma, toda e qualquer tecnologia e equipamentos provenientes de fabricantes chinesas terão os dias contados.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Pocophone F1 ultrapassa OnePlus 6 em benchmarks

Apple: Já se estimam os preços dos novos iPhones 2018

Motorola P30 revela agora todas as suas características técnicas

Fonte | via

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).