Huawei solicita fim da proibição dos EUA e deixa mensagem a todas as empresas

Filipe Alves
2 comentários

A Huawei tem estado nos holofotes mundiais depois de Donald Trump ter proibido que as empresas norte-americanas negociassem com a gigante chinesa. Isto faz com que empresas como a Google, Microsoft e muito mais, fossem obrigadas a deixar de lado a sua parceria com a fabricante asiática.

Hoje a Huawei falou aos jornalistas de todo o mundo solicitando aos tribunais dos Estados Unidos que olhassem o caso de forma atenta. Ademais, o executivo deixou ainda uma palavra de apreço a todas as empresas que, de uma forma ou outra, tem negócio com alguma empresa americana.

"Hoje somos nós, amanhã podem ser vocês". Foram estas as palavras do executivo da Huawei quando referindo a "tirania" do Presidente Donald Trump.

Quando a Huawei foi questionada sobre o que acontecerá se este impedimento de negócio não for levantado, a empresa asiática não teve uma resposta concreta.

Numa entrevista à Bloomberg nesta semana, o fundador da Huawei apontou que será complicado sobreviver mas que acredita que será possível.

For how long can Huawei survive without parts and software from Qualcomm, Google and others?"The U.S. manages its own companies. The U.S. is not the international police. They can't manage the whole world," says Huawei's CEO https://t.co/iCENpstMwm pic.twitter.com/ST4bes0fRd

— Bloomberg Technology (@technology) 27 de maio de 2019

Na conferência de imprensa da Huawei, a gigante asiática apontou que os Estados Unidos não tem provas de qualquer alegação até à data e que Donald Trump só está a fazer isto para sair vitorioso na Guerra económica, também conhecida como Trade War.

Tudo isto é política

A Huawei não foi apanhada ao acaso. A fabricante é a maior empresa de infraestruturas e smartphones na China e tem uma função vital no crescimento do país.

Como podemos ver na reportagem acima, a China já fala em cortar os suplementos "raros" da Terra aos Estados Unidos. Uma cartada que pode muito bem ser o xeque mate para Donald Trump. Visto que muito negócio depende desses suplementos raros (metais raros e preciosos como o (alumínio por exemplo) vindos da China.

Editores 4gnews recomendam:

2 comentários
Filipe Alves
Filipe Alves
Fundador do projeto 4gnews e desde cedo apaixonado pela tecnologia. A trabalhar na área desde 2009 com passagens pela MEO, Fnac e CarphoneWarehouse (UK). Foi aí que ganhou a experiência que necessitava para entender as necessidades tecnológicas dos utilizadores.