Huawei conseguiu vender mais smartphones que a Apple na Europa

Carlos Oliveira
Huawei vs Apple Europa smartphones
Huawei vs Apple

A Huawei é uma das marcas de smartphones que mais tem crescido ao longo dos últimos anos. Há cerca de dois ou três anos atrás, esta marca ainda era olhada de canto por muitos utilizadores, vítima do estereótipo de marca chinesa. Hoje em dia as coisas são bem diferentes e a marca quer até ultrapassar a Apple e a Samsung na liderança de vendas no mercado mobile global.

Este é um objetivo bastante arrojado tendo em conta o domínio que estas concorrentes detêm neste feroz mercado. No entanto, as coisas estão bem encaminhadas para empresa chinesa. O último relatório da Canalys mostra-nos que, no segundo trimestre de 2017 a Huawei foi capaz de ultrapassar a Apple em vendas de smartphones na Europa.

Vê ainda: Galaxy Note 8 com pontuação aquém das expectativas no AnTuTu

A Huawei tem vindo a crescer de uma forma impressionante ao longo dos últimos anos. Aquela desconfiança que muitos sentiam pela marca é agora coisa do passado, tendo a Huawei conseguido conquistar a confiança dos utilizadores.

A sua presença em loja física, a qualidade e fiabilidade dos seus produtos são apenas alguns dos trunfos dos quais a marca tem feito uso para conseguir consolidar-se já no terceiro posto das marcas com mais vendas de smartphones em todo o mundo.

Mas isto não chega e a marca tem a ambição de chegar ao topo nos próximos anos. Na Europa, a marca está já no segundo posto da tabela, atrás de uma Samsung cada vez mais segura no primeiro posto, com um total de 4.9 milhões de dispositivos vendidos só no segundo trimestre deste ano.

Huawei e Apple protagonizam uma saudável disputa no pódio de vendas de smartphones na Europa e no mundo

O pódio completa-se então com uma renhida disputa entre a Huawei e a Apple. A primeira foi capaz de vender mais 50.000 unidades que a empresa de Tim Cook, o que representa um crescimento de 20% comparado com o mesmo período de 2016. Não é uma diferença abismal, mas a suficiente para roubar o segundo posto à Apple no velho continente.

Os smartphones de gama média foram o principal impulsionador deste crescimento por parte da Huawei. De facto, a marca tem-se revelado uma agradável surpresa neste tipo de equipamentos, tanto que irá até abdicar dos seus gama baixa e manter-se apenas com os seus topos de gama e gamas média.

Xiaomi também tem crescido a olhos vistos na Europa

Esta mesma análise de mercado levada a cabo pela Canalys mostra-nos ainda um excelente crescimento por parte da Xiaomi, capaz de a catapultar para o quarto posto neste mercado. A também empresa chinesa vendeu 1.1 milhões de unidades na Europa, ficando assim com 7% da quota deste mercado.

Também os produtos mais em conta da Xiaomi tiveram um papel preponderante neste crescimento, em particular a linha Redmi. O campeão de vendas desta marca no mercado europeu foi o Xiaomi Redmi 4A, tendo vendido um total de 350.000 unidades.

Importa relembrar que a Xiaomi não tem qualquer presença em loja física na Europa, muito por culpa de patentes. A empresa depende bastante das lojas online para poder vender neste mercado, algo que não se coloca no caso das três primeiras ocupantes desta tabela.

Quando olhamos para os últimos dados relativos ao mercado global de smartphones, temos uma Huawei que cai apenas para o terceiro posto da hierarquia, logo atrás da Samsung e da Apple. Isto pode ser facilmente explicado pelo impacto que a Apple tem no seu mercado doméstico - um dos maiores do mundo -, algo que a Huawei não tem.

Ainda assim, estes números poderão mudar dentro em breve com a eminente chegada do novo iPhone 8, aquele que se espera ser mais um best seller da parte da empresa americana.

Outros assuntos relevantes:

Apple iPhone 8 Blush Gold – esta será a nova cor para o smartphone

Marketplace – Já conheces o novo rival do OLX no Facebook?

Pokémon Go: já foi encontrado o primeiro Mewtwo

Carlos Oliveira
Carlos Oliveira
Tendo já passado por várias casas, a 4gnews é aquela que me segura desde 2015. Com um desejo insaciável de me manter atualizado tecnologicamente, a partilha desse conhecimento é apenas o seguimento natural das coisas.