Huawei Nexus 6P
Huawei Nexus 6P

A Huawei foi a marca escolhida para desenvolver e construir o melhor dos Nexus em 2015 e devo dizer que a marca chinesa se saiu excepcionalmente bem no Nexus 6P, um dos smartphones que mais saudades me deixou desde que comecei a fazer análises e que agora, pelo menos em parte, revejo no Huawei Nova. Pois bem, o que terá levado a Huawei a rejeitar a proposta da Google para construir os seus novos Pixel? Ficamos agora a saber o que terá motivado esta decisão.

Vê ainda: Samsung compra a Harman Kardon por 8 mil milhões de dólares

Grande, arrojado, de arestas curvas e câmara excepcionalmente destacada, o Nexus 6P marcou o início de uma nova era para a Huawei. A marca mostrou-nos um produto à altura de qualquer concorrente ou mesmo superior. Pois bem, devo dizer que inicialmente fiquei perplexo com a decisão da Huawei rejeitar uma parceria com a Google para construir os novos Pixels mas agora tornam-se claros os contornos deste negócio incompatível com os objectivos da Huawei.

   

Porquê recusar uma parceria com a Google?

Graças aos depoimentos do senhor Colin Giles, prestados à Winfuture.de (fonte), este que é um dos vice-presidentes do departamento de consumo da Huawei veio assim por fim aos rumores sobre as possíveis causas desta decisão em não colaborar com a Google nos seus Pixel.

De acordo com ele, o afastamento entre a Huawei e a Google prendeu-se com a imposição da Google em usar o seu nome no produto e não deixar que a construtora, neste caso a Huawei, pusesse a sua marca na traseira do dispositivo, tal como tinha acontecido no Nexus 6P. Em boa verdade, ambos os Nexus de 2015 traziam a marca da sua construtora na traseira.

O que motivou esta decisão?

A principal motivação foi a incompatibilidade entre a decisão traçada pela Huawei para ganhar mais reputação e reconhecimento no mercado dos Estados Unidos da América, objetivo que seria fortemente prejudicado se a Huawei aceitasse a proposta da Google e construísse os dispositivos sem qualquer referência so seu nome e marca. Condições que a HTC viria a aceitar, em boa verdade, a única referência à HTC pode ser encontrada na bateria quando desmontamos o dispositivo.
Apesar desta decisão da Huawei a sua relação com a Google não parece ter sido afectada com esta recusa na construção dos Pixel. Aliás, a Huawei pode ser a marca escolhida para construir o próximo produto da Google em 2017  provavelmente com a sua marca presente). Posto isto, acham que a Huawei fez bem em recusar a proposta da Google ou terá a marca chinesa perdido uma boa hipótese para aumentar o número de equipamentos a sair das suas linhas de produção?

Talvez queiras ver:

Android Nougat 7.0 já está a ser trabalhado para o Galaxy S6 e S6 edge

Huawei Mate 9 Pro é fotografado na véspera da sua apresentação

Meizu Pro 7 será o primeiro equipamento da marca sem margens

Viaandroidauthority
Fontewinfuture
Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).