Huawei cai para 2º lugar no mercado chinês, OPPO em 1º, Xiaomi já na 4ª posição

Rui Bacelar
Crédito da imagem © Mark Schiefelbein /AP Photo

A China é atualmente o maior mercado de dispositivos móveis (smartphones, tablets e afins), sendo nesse país onde se regista o maior volume de vendas deste tipo de equipamentos. Segue-se a India em 2º lugar e, agora em 3º lugar, os Estados Unidos da América. É assim, facilmente compreensível, que a saúde de uma construtora como a Huawei, OPPO e Xiaomi se possa facilmente constatar através do seu desempenho nestes mercados.

Vê ainda: e para o teu Android

Ora, uma das formas que podemos utilizar averiguar este desempenho na China, no mercado chinês, são os dados de mercado fornecidos por várias agências como a Counterpoint, uma das mais reputadas analistas de mercado que agora publica os resultados dos seus estudos relativamente ao 3ª trimestre de 2017 que terminou em setembro passado.

Counterpoint publicou os seus relatórios referentes ao 3º trimestre de 2018 na China

Olhando agora para estes dados da agência Counterpoint resultou em:

Huawei cai para 2º lugar, OPPO em 1º, Xiaomi em 4º

"Face aos resultados do ano passado a OPPO e a Vivo foram as marcas com um crescimento mais rápido na China com o volume de vendas a crescer 109% e 78% de ano para ano.

Contudo, o crescimento destas duas marcas abrandou neste 3º trimestre. Mesmo assim, ambas as marcas continuam a crescer a um ritmo saudável e alcançaram a líder do 2º trimestre, a Huawei. O OPPO R11 foi um sucesso de vendas e ajudou a marca a ultrapassar a Huawei durante este período.

fonte: Counterpoint

Yan acrescenta " O crescimento da Huawei durante o trimestre (+23%) foi mais forte do que o crescimento registado no mesmo trimestre do ano passado. Isto deve-se ao leque alargado de produtos que a Huawei tem para oferecer em cada segmento de mercado. Mesmo assim, a Huawei não conseguiu igualar o ritmo de crescimento da OPPO e mesmo a Vivo aproximou-se bastante da Huawei graças ao seu X9.

Relativamente ao crescimento e desempenho da Xiaomi durante este último trimestre, o analista da Counterpoint, Mengmeng Zhang salientou que a "Xiaomi fez um grande regresso em força uma vez que o seu volume de vendas cresceu 32% anualmente, sendo este número impulsionado pelas fortes vendas do Xiaomi Redmi 4X no segmento de gama baixa e do Xiaomi Mi6 no segmento de gama alta.

Xiaomi terá que equilibrar a sua estratégia para competir com a OPPO e Huawei na China

Esta forte recuperação da Xiaomi pode ser atribuída à reformulação e nova organização das linhas de produção, reforçando a eficiência de todo o processo e garantindo a obtenção de componentes essenciais. Mais ainda, a Xiaomi concentrou-se na expansão dos pontos de venda em loja física, expandido a sua rede de lojas Xiaomi Mi Home.

As flutuações de mercado na China

Zhang acrescenta ainda que "Ao passo que a Xiaomi teve uma forte recuperação, continua atrás das lideres de mercado como a OPPO e a Huawei. Para a Xiaomi, a chave para alcançar a líder OPPO e a Huawei será a aposta na venda de equipamentos em loja física, sobretudo os seus topos de gama como o Xiaomi Mi Mix 2, contudo, o seu sucesso deve-se ainda e maioritariamente aos equipamentos de baixo custo como os Xiaomi Redmi 4X.

Apesar de a OPPO, Huawei, Vivo e até a Xiaomi terem crescido consideravelmente na China, agora todas as atenções estarão colocadas na Apple. Com um crescimento de 17% face ao mesmo trimestre do ano passado, a Apple poderá ameaçar esta hegemonia das Xiaomi, OPPO e Huawei na China assim que o iPhone X alcançar este país.

Para mais informações sobre a esta marca e tudo o que é tecnologia falada em português segue a 4gnews. Acompanha-nos no aqui, o relatório da Counterpoint na íntegra com todos os detalhes e pormenores.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Mi Mix 2 – Primeiro olhar e unboxing ao topo de gama

5T

com direito à versão estável global

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.