Google terá rédea curta nos vídeos bizarros para crianças no YouTube

Rui Bacelar
Há todo um novo género de vídeos que poderá não tardar a chegar a Portugal

Há todo um novo tipo de vídeos, um novo género de vídeos especificamente voltados para crianças que está a tomar conta do YouTube. A tendência, como sempre, teve origem nos Estados Unidos da América e está agora nos radares da Google após o alerta inicial do , recentemente adquiriram todo um carácter mais estranho e sem dúvida perturbador com cenas violentas e repletas de conotações sexuais.

Google reforça o controlo de qualidade no YouTube

Depois de no passado mês de agosto o YouTube ter anunciado que não iria permitir a monetização de vídeos que utilizem indevidamente estas personagens para crianças. Agora, está a dar um passo em frente e a apertar o cerco a este tipo de vídeos mais bizarros que são cada vez mais comuns no YouTube.

Com efeito, tal como avança também o site New York Times

Vídeos para crianças, capazes de impressionar até os adultos...

A Google tem várias linhas de defesa ou filtragem de conteúdos no YouTube. A primeira sendo os algoritmos automáticos da Google implementados no YouTube.

A segunda serão as denúncias, as flags dos conteúdos que farão com que eles sejam revistos por um ser humano, procurando pela infração denunciada e tomando as devidas providências consoante cada caso em análise.

O YouTube Kids, ramificação do YouTube não disponível em Portugal e que agrega conteúdos especificamente criados para crianças é uma das maiores fontes de rendimento para um número crescente de criadores de conteúdo nos Estados Unidos da América que não se eximem de pisar todas as barreiras morais.

A Google frisa ainda que, apesar de os conteúdos demorarem sempre alguns dias a transitar do YouTube normal para o YouTube Kids, a empresa passará a filtrar melhor todos estes vídeos para tentar restringir este tipo de conteúdos quase obscenos ou indutores de comportamentos perigosos como a quase apologia da violação, a utilização de ferramentas perigosas como seringas, lasers poderosos ou simplesmente partidas de mau gosto e mau carácter.

Mais ainda, para além de filtrar este conteúdo na aplicação YouTube Kids, a empresa da Google passará a colocar restrições nestes vídeos na sua App principal, presente em praticamente todos os dispositivos móveis.

YouTube é cada vez mais uma plataforma de vídeos para crianças e os criadores de conteúdo sabem disso

O conteúdo sinalizado terá restrições de idade e os utilizadores só poderão ver este tipo de vídeos depois de estarem registados (logged-in) na plataforma e caso tenham 18 ou mais anos de idade. Além disso, todo este conteúdo não poderá ser monetizado com anúncios.

Em suma, todo este conteúdo, todos este género de vídeos para crianças está a atrair criadores de conteúdo de todos os géneros e áreas tal como podem ver no vídeo colocado no final deste artigo. Perante isto, a estratégia da Google será simples, cortar a monetização.

Esta tendência, de vídeos para crianças com utilização de personagens como o Spider-Man, Elsa e várias personagens populares junto do público infantil ainda não chegou a Portugal mas poderá ser uma questão de tempo até que se apercebam do potencial em mãos. Já por outro lado, pode ser que a Google tome ações mais severas para com este tipo de conteúdos que está a ser diretamente canalizado para crianças de tenra idade.

A plataforma de partilha de vídeos da Google está a percorrer uma perigosa linha onde tenta menosprezar a dimensão deste problema e, por outro lado, tenta lidar com ele e asfixiar o fluxo de dinheiro que alimenta esta indústria.

O YouTube tem tentado desvalorizar o problema dizendo que este tipo de vídeos para crianças que escaparam aos filtros (algoritmos da plataforma) representa apenas uma fração ínfima de todos os vídeos na plataforma, cerca de 0,005%.

A Google tem um sério problema em mãos com estes vídeos para crianças

Contudo, basta fazer uma pequena pesquisa por este tipo de vídeos para ver a sua quantidade e o número absurdamente alto de visualizações que se convertem numa grande monetização para este tipo de YouTubers.

A empresa vai mais além e afirma que os vídeos para crianças denunciados e que mesmo assim alcançaram milhares ou milhões de visualizações sem serem restringidos devem esta atividade a utilizadores com 13 ou mais anos - pessoalmente tenho bem mais de 13 anos e este tipo de vídeos deixa-me muito pouco à vontade, quanto muito uma criança de 13 anos.

Note-se que o YouTube é o segundo maior motor de busca mundial e, como tal, deveria ter uma responsabilidade acrescida para com o seu público, não só para com as crianças de 13 ou mais anos.

Seja como for, a Google e o YouTube já reconheceram este problema e estão prometeram apertar o cerco a este tipo de conteúdos com conotações sexuais, indutores de comportamentos negligentes, moralmente reprováveis ou que possam por em perigo as crianças e outros.

Outros assuntos relevantes na 4gnews:

d

Apple iPhone X – O seu maior problema pode ser solucionado

versão 8.4.19 – Download APK

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.