Google Pixel Watch pode chegar com processador de 2018

Mónica Marques
Comentar

A Google revelou finalmente o seu Pixel Watch, mas só desvendou o design, não se estendendo muito sobre as especificações do novo smartwatch.

Por essa razão, continuam os rumores sobre o wearable. E agora está a ser avançado que o Pixel Watch pode chegar com um chip de há quatro anos que foi lançado em 2018.

Google pode lançar o Pixel Watch com um processador que já tem quatro anos

Google Pixel Watch
O Google Pixel Watch terá braceletes proprietárias da marca

O tão esperado Pixel Watch foi finalmente anunciado pela Google. No seu evento I/O 2022, a gigante de pesquisas mostrou o novo smartwatch que está ainda a meses de distância de ser lançado. Por essa razãp, a empresa apenas desvendou o design que confirmou todas as imagens divulgadas até agora do equipamento.

Quanto às especificações técnicas,a Google não se alongou em esclarecimentos e, por isso, continuam a multiplicar-se os rumores sobre o novo wearable. O mais recente adianta que o Pixel Watch vai chegar ao mercado com um chip que foi lançado pela primeira vez há quatro anos.

Segundo o site 9to5Google, o smartwatch estará equipado como processador Exynos 9110 da Samsung que surgiu, pela primeira vez, em 2018 no no Galaxy Watch Active da marca sul-coreana.

A confirmar-se a informação, a situação torna-se dececionante e, sobretudo, bizarra, uma vez que o referido Galaxy Watch Active até já foi descontinuado pela Samsung que atualmente usa o chip Exynos W920 nos seus smartwatches mais recentes.

Alguns rumores adiantam que a Google pode fazer renascer este chip, ao introduzir outras tecnologias e melhorias no software do Pixel Watch, trazendo-o para o ano de 2022 e tornando-o em algo apetecível para os utilizadores. Mas teremos de esperar para perceber melhor os planos da Google.

O que a Google revelou sobre o Pixel Watch

Google Pixel Watch
No seu evento I/O 2022, a Google revelou alguns pormenores do novo Pixel Watch

Mas a Google fez algumas revelações sobre o novo smartwatch e ficámos a saber que este chegará ao mercado com o sistema operativo Wear OS 3. Esta será uma versão melhorada que terá uma nova interface, notificações mais inteligentes e ainda uma navegabilidade otimizada.

A Google confirmou também que o Pixel Watch terá os algoritmos da Fitbit. Tal significa que conseguirá fazer leituras otimizadas dos dados recolhidos pelos sensores integrados.

Nos recursos direcionados para a saúde vai contar com monitorização do batimento cardíaco, assim como da qualidade do sono, além de incluir a funcionalidade minutos de zona ativa.

O Pixel Watch vai também oferecer suporte para a aplicação Google Home que vai permitir aos utilizadores controlarem todos os equipamentos inteligentes da sua casa através do wearable.

De resto e em jeito de aviso, a Google sublinhou que o novo smartwatch vai oferecer compatibilidade apenas a smartphone Android 8 ou com uma versão superior e exigir uma conta Google ao utilizador para ser possível fazer a sua configuração.

Parece que o Pixel Watch vai chegar com algumas particularidades que podem dificultar o seu caminho no mercado e levar os utilizadores a optarem por outras soluções mais cómodas e menos exigentes.

Editores 4gnews recomendam:

Mónica Marques
Mónica Marques
Como jornalista de tecnologia assistiu à chegada do 3G e outros eventos igualmente inovadores no mundo hi-tech ao longo de mais de 20 anos de carreira.