Google Pixel Essential Phone Atualização Android Google Pixel 2 Câmara modo retrato
São dois dos melhores smartphones para fotografia @cnet

Os dispositivos Google Pixel são os atuais embaixadores do sistema operativo Android. Mais ainda, tornaram a Google numa empresa não só de software mas também fabricante de hardware. A primeira geração de smartphones da tecnológica de Mountain View chegaria em 2016 com os seus sucessores a chegarem ao mercado em meados de 2017. Nesse mesmo ano teríamos também outra promessa, o Essential Phone.

Dois novos colossos para o mercado Android. Apostas distintas que tentavam exaltar o que de melhor o sistema operativo Android tem para oferecer. Dois topos de gama submetidos a muito escrutínio do público e dos media. Para todos os efeitos são ótimos smartphones mas…estão longe de ser um fenómeno de vendas.

Vê ainda: Xiaomi, Android One, MIUI e Twitter, um erro que veio por bem?

Agora, tal como nos conta o senhor Francisco Jerónimo da agência de análise de mercado, a IDC. Segundo este analista português os Google Pixel 2 e Google Pixel 2XL venderiam um total de 3.9 milhões de smartphones durante todo o ano de 2017. Números impressionantes? Bom, ficam abaixo dos números da Nokia.

Mais ainda, quando olhamos para os números de vendas da Apple o cenário muda. Rapidamente chegamos à conclusão que os 3.9 milhões de smartphones são sensivelmente a média de vendas da marca de Tim Coook numa semana normal. Claro, importa frisar que a Google está no mercado mobile há cerca de dois anos (cerca de 16 meses). A Apple há mais de 10 anos.

Google Pixel na direção certa, Essential Phone não…

Para já a quota de mercado da Google é minúscula, estando atrás da fénix Nokia e de várias outras construtoras. Todavia, Jerónimo salienta que a Google está na direção certa com os seus Google Pixel. As vendas do Google Pixel terão duplicado durante o ano de 2017. Mais ainda, de acordo com os mais recentes dados da Kantar Worldpanel no mercado norte-americano a quota de mercado da Google saltou de 1.8% para 2.8%.

São números ainda muito envergonhados mas demonstram um crescimento consistente e gradual. Já por outro lado, a Essential com o seu Essential Phone enfrenta um percurso mais tortuoso. Ao passo que todos os consumidores conhecerão certamente a Google, o mesmo não pode ser dito relativamente à empresa de Andy Rubin. Em 2017 lançariam o seu primeiro smartphone e apesar de todo o mediatismo inicial as vendas desiludem.

Este Essential Phone terá vendido apenas 88, 000 unidades desde que ficou disponível para compra. Não são números animadores para esta jovem start-up que não se conseguiu destacar num mercado cada vez mais competitivo.

Apesar das criticas relativamente positivas após a sua apresentação a marca debateu-se com alguns problemas de software e o preço premium também não terá sido uma das melhores estratégias.

Esperemos para ver o que é que 2018 reserva para ambas as empresas.

Assuntos relevantes na 4gnews:

Huawei regista o nome “Huawei Mate X”. Nova variante a caminho?

Xiaomi Redmi Note 4 recebe o Project Treble do Android Oreo

OnePlus, ASUS ou Sony, a Nokia vendeu mais smartphones em 2017

Fonte | Via 

Quando não está a escrever um artigo ou a gravar algum vídeo, o Bacelar tem por hábito saborear um bom livro, descobrir novas bandas sonoras ou simplesmente desfrutar do sol, na companhia de quem mais gosta (MM).