Google não quer que tenhas controlo sobre a tua privacidade no Android

Rui Bacelar
Comentar

A Google terá tomado medidas para dificultar o acesso às definições de privacidade no sistema operativo Android. Pior ainda, terá instado as demais fabricantes (OEM's) a seguir-lhe o exemplo ao desenvolverem e aplicarem as próprias interfaces (UI's).

Esta medida terá despertado várias críticas por parte dos colaboradores da Google, os Googlers. Em causa estava a impossibilidade de os utilizadores terem acesso às informações de localização sem que a Google também receba essa mesma informação.

Precisas de acesso à localização? A Google também concorda.

Android Google

Estas conclusões foram agora postas ao descoberto no âmbito de um processo judicial envolvendo a gigante tecnológica. Com efeito, durante as investigações seria apontado que a Google tomou várias medidas com o intuito de continuar a receber informações.

Mais concretamente, ao "enterrar" certas e determinadas definições e controlos no menu de Definições do sistema Android, a tecnológica garantiu, passivamente, que a maioria dos utilizadores continuaria a alimentar a empresa com diversas informações.

Em causa está o acesso a definições e controlos comuns da gestão da privacidade e, em particular, do acesso às informações de localização. Algo que o utilizador comum deveria encontrar facilmente, mas que acabaria "empurrado para a gaveta do fundo".

A Google I/O 2021 colocou a tónica na Privacidade

Recordamos que ainda recentemente, durante a conferência Google I/O 2021 a tecnológica anunciou várias novidades relacionadas com a privacidade do utilizador. Medidas como, por exemplo, um novo menu ou dashboard de controlo para o Android 12.

Com efeito, a próxima versão do sistema operativo permitirá eliminar os últimos 15 minutos do histórico de pesquisas Web de forma tão simples como limpar as notificações. Esta é apenas uma das novas ferramentas apresentadas para "proteger" o utilizador.

Por outro lado, de acordo com os documentos detetados pela publicação Business Insider, a Google encetou esforços no sentido oposto. Mais concretamente, testou várias versões do Android em que as definições de privacidade eram fáceis de encontrar.

Controlos de privacidade "enterrados" nas definições do Android

Contudo, à medida que os utilizadores começaram a tirar partido destes controlos, a Google terá encarado esta tendência como um "problema". Vista como uma ameaça à sua fonte de dados e informações, os controlos de privacidade foram "enterrados" no menu das definições nas mais recentes versões do Android. Este fluxo de informações foi assim preservado pela empresa.

Pior ainda, a documentação mostra que a Google continuava a colher dados e informações de localização mesmo quando o utilizador desativava esta partilha nas Definições. Esta conduta, já censurável, adquiria ainda proporções mais gravosas.

Foi igualmente descoberto que a Google "aconselhava" outras fabricantes (OEM's) como a LG e outras a esconder estas definições e controlos porque as pessoas tiravam partido dos mesmos. Em síntese, a Google pressionou as demais a seguirem-lhe o exemplo.

Prática que gerou desconforto no seio da Google

Google Android

A conduta da Google foi sentida negativamente por alguns dos seus colaboradores, os Googlers. Aliás, um destes engenheiros terá confirmado que o utilizador de Android não pode receber informações de localização sem que a Google também o saiba.

Isto é, se alguma app do Android precisa de acesso à localização, a Google também saberá onde estamos. O sistema opera um cruzamento de dados que reverte sempre, em última instância, para a tecnológica norte-americana.

O colaborador Google teceu aqui um rasgado elogio à Apple. "É aqui que a Apple come o nosso almoço". Comentário acompanhado da convicção de que a Apple "muito provavelmente" deixaria os utilizadores tirarem partido das informações de localização, sem as reclamar também para si.

Apetite "insaciável" por dados e informações do utilizador

Estes testemunhos não são casos isolados. Aliás, bem pelo contrário. De acordo com um antigo responsável pelo Google Maps, Jack Menzel, a "fome" da Google por informação é insaciável.

Menzel aponta que a única forma de a Google não saber qual é a nossa residência e morada é enganar o sistema. Mais concretamente, ao atribuir localizações aleatórias para ambos os locais.

Por fim, a documentação aponta ainda que os novos esforços da Google no campo da privacidade não foram feitos meramente por boa vontade.

Estará a Google a fazer um bom trabalho para garantir, ou melhorar a privacidade no Android 12?

Editores 4gnews recomendam:

Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. É na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e na 4gnews a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.