Google Maps pode emitir ultimato para os utilizadores Android e iOS

Rui Bacelar
Comentar

O serviço Google Maps é indispensável para viajar, sobretudo com a sua navegação passo-a-passo, com comandos e guias de voz que nos ajudam a chegar ao destino. É a app sine qua non nos aventuramos numa nova cidade, tanto em Android como em iOS.

Esta mesma aplicação do Google Maps para dispositivos móveis está agora a receber uma atualização que, após a sua instalação, apresenta um novo ecrã (novo prompt) com informações sobre a importância dos dados partilhados pelos utilizadores com a Google.

O serviço Google Maps é um dos mais úteis a serem fornecidos pela Google

Mais concretamente, o novo ecrã de informação apresenta-nos a justificativa para a recolha das opiniões, ações e feedback geral dos utilizadores no Google Maps. A empresa norte-americana classifica-o como absolutamente essencial para a utilidade do serviço.

O aviso permitirá à Google continuar a usar os dados e métricas fornecidas pelos utilizadores para melhorar o seu serviço. Ademais, permitirá continuar a usar as instruções de navegação detalhadas, também conhecidas por navegação passo-a-passo.

Assim sendo, não fiquem surpreendidos caso vejam uma nova janela contextual a aparecer na próxima vez que abrirem a aplicação Google Maps. Seja na app para Android ou iOS, segundo a publicação 9to5Google, o aviso está a ser apresentado.

Será este aviso um ultimado no Google Maps?

A questão foi levantada pela publicação supracitada que, entre outras coisas, afirma que a não aceitação da recolha de dados dos utilizadores a navegação passo-a-passo será suspensa. Note-se, contudo, que a publicação refere-se à realidade norte-americana.

Caso tal também seja aplicado na Europa teríamos efetivamente um ultimato. Isto é, caso o utilizador não concedesse permissão para a Google recolher o feedback e informações introduzidas pelo utilizador, ficaríamos sem a navegação detalhada.

Acima podemos ver um exemplo do aviso que está em circulação na região norte-americana. De momento, contudo, não temos conhecimento da sua apresentação na Europa e nações abrangidas pela vigência do RGPD.

O aviso aponta ainda que "à medida que viajamos, a Google recolhe dados como a localização GPS e a rota escolhida pelo utilizador. Estes dados podem ser usados para gerar informações como, por exemplo, os avisos de trânsito em tempo real e possíveis acidentes. Informações visíveis para os outros utilizadores que os podem ajudar a encontrar a rota mais rápida. Estas atualizações ao mapa não são associadas à conta de utilizador - conta Google - nem ao dispositivo".

A Google necessita de vários dados para melhorar o Maps

Avisos como as informações de trânsito em tempo real carecem efetivamente deste tipo de dados submetidos pelos utilizadores e informações colhidas automaticamente. Caso, porventura, o utilizador não as ceda, o Maps pode vir a ficar mais pobre.

A propósito, como alerta a publicação supracitada, nos casos em que o utilizador nega o fornecimento de tais dados, a navegação passo por passo será desativada. Mais uma vez, isto sucede na região norte-americana, de momento em exclusivo.

Por outro lado, o aviso está agora a ser distribuído aos utilizadores Android e iOS do Google Maps.

Por fim, caso tenham recebido um aviso similar na Europa deixem o vosso testemunho, mais abaixo, nos comentários.

Editores 4gnews recomendam:

  • Xiaomi vai abrandar alguns smartphones tal como a Apple. Entende.
  • OPPO é a próxima grande fabricante a regressar ao mercado dos tablets Android
  • Xiaomi lidera mercado de smartphones em 22 países com novo recorde de receitas no 2.º trimestre
Rui Bacelar
Rui Bacelar
Na escrita e comunicação repousa o gosto, nas leis a formação. Ocupa-se com as novidades de tecnologia na 4gnews. Email: ruifbacelar@gmail.com