O project Material “L” não trás apenas alterações visuais. Existem também mudanças revolucionarias na “construção” Android.

Para começar vamos ver ser substituído o “envelhecido” compilador Dalvik pelo atual e eficiente ART, que tornará o Android L verdadeiramente num sistema multi-plataforma em ARM, X86 e MIPS.

ART

   

O compilador ART vai optimizar significativamente o desempenho de memória e os tempos de carregamento das aplicações, segundo a Google poderá representar por vezes um desempenho duas vezes mais rápido. Além disso o ART é inteiramente 64bit, tirando mais proveiro das novas aplicações baseadas em arquiteturas de 64bits, como os novos processadores ARM Cortex-A57.

64 BIT

Irá também permitir maiores memorias memórias RAM, por isso é bem provável que vejamos em breve equipamentos Android com mais de 3GB de RAM (atualmente é memória máxima que encontramos no mercado)
Poderá contar com estas melhorias de desempenho estarão disponíveis assim que os nossos equipamentos recebam o novo Android L. Claro que alguns modelos não irão receber a atualização, mas de momento ainda não se sabe quais os modelos a ser atualizados. Esperar para ver.

Fonte: Google IO